Jornal do Comércio >> Reforma tributária nos EUA pesa e bolsas da Europa recuam

Os mercados acionários europeus fecharam em baixa nesta sexta-feira, 10, como reflexo do mau humor generalizado em Nova York devido ao racha entre deputados e senadores republicanos em torno da reforma no sistema tributário dos Estados Unidos.

O índice pan-europeu Stoxx-600 fechou em queda de 0,37% (-1,44 ponto), aos 388,63 pontos. Na semana, o recuo foi de 1,86%.

Na quinta-feira, senadores do Partido Republicano divulgaram o seu projeto de lei de reforma tributária, que contém pontos divergentes em relação à proposta da Câmara. Um dos principais pontos é o adiamento da implantação do corte no imposto corporativo para 2019. A alíquota, que cairia dos atuais 35% para 20%, é o ponto comum entre as duas medidas no quesito imposto das empresas.

Com os próprios congressistas discordando sobre aspectos fundamentais do projeto de lei, investidores acreditam que o prazo para que a proposta seja aprovada não seguirá o cronograma do presidente dos EUA, Donald Trump, que tinha como limite o Dia de Ação de Graças (23 de novembro). Diante da perspectiva de que os EUA demorem mais para reduzir impostos, ficaram em segundo plano notícias positivas da economia britânica e da temporada de balanços.

No Reino Unido, a produção industrial cresceu 0,7% em setembro ante agosto, superando projeções de analistas consultados pelo The Wall Street Journal, o que elevou a libra em relação ao dólar e ao euro. Com isso, ações de exportadoras perderam força na bolsa de Londres, onde o índice FTSE-100 fechou em baixa de 0,68%, aos 7.432,99 pontos, com perda semanal de 1,68%. Persistem, no entanto, dúvidas sobre as negociações do governo britânico para a retirada do país da União Europeia (o chamado Brexit). Nesta sexta-feira, o principal negociador do bloco para o processo, Michel Barnier, afirmou que nenhuma decisão relevante foi tomada durante a última rodada de negociações sobre o assunto, que teve fim nesta sexta-feira.

Em Frankfurt, o índice DAX fechou em queda de 0,42%, aos 13.127,47 pontos, com baixa semanal de 2,61%. Entre as montadoras, a BMW perdeu 0,92% e a Daimler caiu 0,52%. Já na bolsa de Paris, o índice CAC-40 baixou 0,50%, aos 5.380,72 pontos, enfrentando queda de 2,49% na semana.

Na bolsa de Milão, o índice FTSE-Mib caiu 0,36%, aos 22.560,79 pontos, com perda semanal de 1,97%. A Telecom Italia, controladora da TIM Brasil, divulgou queda anual de 8,4% no lucro do terceiro trimestre, mas ligeiro avanço na receita. Apesar disso, a companhia de telecomunicações cedeu 1,66%.

O índice Ibex-35, da bolsa de Madri, fechou em baixa de 0,48%, aos 10.092,70 pontos, com perda semanal de 2,56%. Já em Lisboa, o índice PSI-20 caiu 0,38%, aos 5.301,70 pontos, recuando 1,25% na semana.

Fonte Oficial: https://worldcambio.com.br/wp-content/uploads/2017/11/jornal-do-comercio-reforma-tributaria-nos-eua-pesa-e-bolsas-da-europa-recuam.br_conteudo/2017/11/economia/595771-reforma-tributaria-nos-eua-pesa-e-bolsas-da-europa-recuam.html.

Os textos, informações e opiniões publicados neste espaço são de total responsabilidade do(a) autor(a). Logo, não correspondem, necessariamente, ao ponto de vista do World Câmbio.

Comentários

você pode gostar também

Quer fazer parte de nosso grupo?

Inscreva-se em nossa newsletter!