Jornal do Comércio >> Gol revisa para cima projeções de 2017 financeiras e operacionais

A Gol anunciou revisão de suas projeções (guidance) de 2017, com alterações para cima em diversas linhas. Em comunicado na noite de quinta-feira, a companhia aérea traz uma tabela ampliada dos indicadores, alguns dos quais foram revelados junto com os resultados financeiros do terceiro trimestre, no último dia 8/11.

Além das perspectivas financeiras, o guidance atualizado contém indicadores operacionais. A atual previsão de variação na oferta (ASK) é de mais ou menos 0,5%, ante faixa anterior de 0% a -2%. O guidance para taxa de ocupação média está em torno de 79%, no teto do intervalo anterior, de 77% a 79%. Para assentos totais, a variação de -3 a -5% passou para em torno de 2%. A variação no volume de decolagens deve ser de 4%, ao passo que a anteriormente prevista era de -3 a -5%.

“A GOL tem equiparado a oferta de assentos da Companhia com a demanda de seus serviços de transporte aéreo, como evidenciado pelas consistentemente altas taxas de ocupação da GOL. As projeções revisadas para 2017 refletem a continuidade dessa estratégia”, diz a nota.

A tabela traz também previsão para Cask ex-combustível para o ano, que deve ficar em cerca de 13,70 centavos, contra cerca de 14 antes.

A receita líquida deve crescer um pouco, de R$ 10 bilhões no ano para em torno de R$ 10,3 bilhões.

Já havia sido informada previsão de margens no teto das faixas em relação ao que fora divulgado no segundo trimestre, sendo a atual estimativa de margem Ebitda de 14% neste ano (ante 12 a 14%) e margem Ebit de 9% (ante 7% a 9%).

Na quarta-feira passada também foi revelada perspectiva de lucro por ação diluído (após participação de minoritários da Smiles) de R$ 0,80 a R$ 0,90 em 2017, ante faixa de R$ 0,38 a R$ 0,52 esperada anteriormente. O lucro diluído por ADS previsto passou de US$ 0,57 a US$ 0,78 para US$ 1,25 a US$ 1,40.

Para alavancagem, medida pela dívida líquida/Ebitda, a perspectiva é de que o indicador atinja 3,4 vezes em 2017, patamar abaixo das 4,2 vezes previstas anteriormente. Outros dados projetados foram mantidos, como a previsão de uma frota média de 115 aeronaves e o valor de R$ 1 bilhão com arrendamento de aeronaves.

“A GOL acredita que sua liderança na gestão racional da oferta e no gerenciamento dos yields, combinada com suas operações de menor custo e um serviço ao passageiro da mais alta qualidade, permitirá que Companhia aumente suas vantagens competitivas e gerencie eficazmente a demanda de passageiros”, conclui o comunicado.

A Gol Linhas Aéreas apresenta dados prévios de tráfego do mês de outubro, com destaque para aumento na oferta de 1,9% e na demanda de 8,1% em relação ao mesmo mês do ano anterior.

O volume total de decolagens cresceu 0,5% e o total de assentos disponibilizados teve alta de 0,3% no mesmo comparativo.

A taxa de ocupação total ficou em 80,6%, 4,6 pontos porcentuais acima de outubro de 2016.

No mercado doméstico, oferta e demanda cresceram respectivamente 1,7% e 9,1%.

O volume de decolagens subiu 0,5% e o de assentos, 0,4%. Em outubro, a taxa de ocupação doméstica foi de 81,4%, 5,5 p.p. maior.

No mercado internacional, a oferta e a demanda aumentaram 3,9% e 0,3%, respectivamente, enquanto a taxa de ocupação caiu 2,7 p.p. a 74,1% em outubro em relação ao mesmom mês de 2016.

Além de revisar as projeções (guidance) para o ano e divulgas dados prévios operacionais de outubro, a Gol comunicou na noite de quinta alteração da relação de equivalência no programa de American Depositary Receipt (ADR).

O número de ações por American Depositary Share (ADS), que era de 5 preferenciais por um ADS passa para 2 por um. “O objetivo desta mudança é aumentar a liquidez na negociação, ampliando a base de acionistas e facilitando o acesso das ADSs da GOL na NYSE”, justifica a companhia.

A data de registro é 20 de novembro e no dia seguinte os titulares de ADS receberão automaticamente 1,5 ADS extra para cada detido.

A Gol explica ainda que a mudança do número de ações por ADS não vai afetar os detentores de ações PN e que as atuais ADSs permanecem válidas, de modo que não há necessidade de trocá-las.

Fonte Oficial: http://jcrs.uol.com.br/_conteudo/2017/11/economia/595755-gol-revisa-para-cima-projecoes-de-2017-financeiras-e-operacionais.html.

Os textos, informações e opiniões publicados neste espaço são de total responsabilidade do(a) autor(a). Logo, não correspondem, necessariamente, ao ponto de vista do World Câmbio.

Comentários

você pode gostar também

Quer fazer parte de nosso grupo?

Inscreva-se em nossa newsletter!