Jornal do Comércio >> Juros fecham em alta após investidor zera posições vendidas na reta final

Os juros futuros de médio e longo prazos fecharam a sessão regular em forte alta, nas máximas, enquanto os curtos zeraram a queda vista em boa parte do dia e terminaram estáveis. Houve um estresse na última hora de negócios desta sexta-feira, quando o dólar também acelerava os ganhos ante o real, em meio ao aumento das preocupações com o andamento da reforma da Previdência, mas sem um fato específico que disparasse ordens de zeragem de posição vendida.

Segundo profissionais, o investidor aumentou a cautela antes do fim de semana, em meio ao aumento do pessimismo sobre a construção de consenso para a reforma. Diante do racha do PSDB sobre a continuidade do apoio ao governo, e o tempo escasso para votar ainda este ano, sobretudo após a folga de dez dias que os deputados terão a partir do sábado, o mercado devolveu a reação inicialmente positiva de dias atrás à mobilização do governo para aprovar o texto.

A taxa do contrato de Depósito Interfinanceiro (DI) para janeiro de 2019 fechou em 7,29% (máxima), mesmo nível do ajuste de quinta, e a do DI para janeiro de 2020 em 8,57% (máxima), de 8,49% no ajuste anterior. A taxa do DI para janeiro de 2021 subiu de 9,27% para 9,41% (máxima). A taxa do DI para janeiro de 2023 também encerrou na máxima, em 10,18%, de 10,03%.

Até o começo da tarde, a ponta curta refletia o alívio trazido pelo Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA) de outubro, de 0,42%, abaixo da mediana (0,48%) e perto do piso das estimativas (0,40%) coletadas pelo Projeções Broadcast. Os longos operavam perto dos ajustes anteriores, acompanhando o noticiário em torno da reforma. Por volta das 15h30, começaram as ordens de stop loss a impulsionar as taxas.

“Vimos basicamente o dólar dando uma puxada importante e o índice de ações desabando, reflexo do que o mercado interpreta como dificuldade na reforma”, afirma o diretor do Grupo L&S, Alexandre Wolwacz, que não viu nenhum gatilho para este movimento. No câmbio, às 16h41, o dólar à vista subia 0,61%, aos R$ 3,2795.

Fonte Oficial: https://worldcambio.com.br/wp-content/uploads/2017/11/jornal-do-comercio-juros-fecham-em-alta-apos-investidor-zera-posicoes-vendidas-na-reta-final.br_conteudo/2017/11/economia/595794-juros-fecham-em-alta-apos-investidor-zera-posicoes-vendidas-na-reta-final.html.

Os textos, informações e opiniões publicados neste espaço são de total responsabilidade do(a) autor(a). Logo, não correspondem, necessariamente, ao ponto de vista do World Câmbio.

Comentários

você pode gostar também

Quer fazer parte de nosso grupo?

Inscreva-se em nossa newsletter!