Jornal do Comércio >> BC: não se sabe o quanto o mercado precificou a reforma da Previdência

O diretor de política monetária do Banco Central, Reinaldo le Grazie, avaliou nesta segunda-feira que o governo tem tido sucesso com a realização de reformas necessárias para o País e citou Proposta de Emenda Constitucional (PEC) que impôs um limite para o aumento dos gastos públicos. A próxima reforma importante, de acordo com ele, é a da Previdência Social.

Le Grazie fez estas avaliações durante apresentação no evento Two Market in a Global World, realizado pela Câmara Brasileira de Comércio, em Londres. Questionado por um participante sobre como a reforma da Previdência pode interferir no mercado financeiro, ele disse que esta era uma pergunta difícil de ser respondida. “Não sabemos o quanto o mercado precificou a reforma da Previdência”, justificou. Durante a apresentação, ele havia mencionado que nas últimas semanas o mercado de capitais havia apresentado uma volatilidade maior. Perguntado também pela plateia sobre o tema, ele comentou que a reação desses mercados tem como foco o curto prazo.

O diretor também enfatizou a necessidade de se reduzir o custo de crédito e de compliance no País. “É preciso fazer o efeito da política monetária ficar mais eficaz”, avaliou. Ele salientou ainda que os spreads estão caindo no País e que, no geral, o Brasil tem sido muito resiliente, mesmo com a recessão econômica pela qual passou nos últimos anos.

Fonte Oficial: https://worldcambio.com.br/wp-content/uploads/2017/11/jornal-do-comercio-bc-nao-se-sabe-o-quanto-o-mercado-precificou-a-reforma-da-previdencia.br_conteudo/2017/11/economia/596095-bc-nao-se-sabe-o-quanto-o-mercado-precificou-a-reforma-da-previdencia.html.

Os textos, informações e opiniões publicados neste espaço são de total responsabilidade do(a) autor(a). Logo, não correspondem, necessariamente, ao ponto de vista do World Câmbio.

Comentários

você pode gostar também

Quer fazer parte de nosso grupo?

Inscreva-se em nossa newsletter!