Jornal do Comércio >> Bolsas da Europa fecham na maioria em baixa, com setor de energia sob pressão

As bolsas europeias fecharam na maioria em queda nesta quarta-feira, em um dia marcado pela fraqueza de ações do setor de commodities. Houve, porém, uma redução de perdas mais para o fim do pregão e a Bolsa de Madri conseguiu encerrar a jornada em território positivo.

O índice pan-europeu Stoxx 600 fechou em queda de 0,40%, em 382,32 pontos.

A queda no petróleo, de olho nos estoques dos Estados Unidos, e uma jornada negativa também para os metais básicos, após a desaceleração nesta semana em alguns dados importantes da China, entre eles a produção industrial, impuseram um movimento negativo nos mercados europeus, como havia ocorrido na Ásia mais cedo.

Em Madri, porém, a melhora do setor de finanças amparou uma reação, mais para o fim do dia. O premiê da Espanha, Mariano Rajoy, mostrou-se confiante em poder contornar a crise na Catalunha e evitar qualquer interferência na eleição regional marcada para dezembro.

Na agenda de indicadores, o superávit comercial da zona do euro subiu a 25 bilhões de euros em setembro, acima do saldo positivo de 21,6 bilhões de euros registrado em agosto, segundo dados oficiais. As exportações do bloco avançaram 1,1% em setembro ante agosto, enquanto as importações recuaram 1,2%.

Na Bolsa de Londres, o índice FTSE-200 fechou em queda de 0,56%, em 7.372,61 pontos. Entre as mineradoras, Glencore recuou 1,37% e a Anglo American cedeu 1,20%. A petroleira BP caiu 1,59%. Entre os bancos, Barclays subiu 0,94%, mas Lloyds teve baixa de 0,60%.

Em Frankfurt, o índice DAX recuou 0,44%, a 12.976,37 pontos. A ação da Volkswagen recuou 0,61%, após relatos de que autoridades fiscais fizeram uma operação na empresa.

O índice CAC-40, da Bolsa de Paris, teve baixa de 0,27%, a 5.301,25 pontos.

Na Bolsa de Milão, o índice FTSE-100 teve baixa de 0,62%, a 22.158,88 pontos. Entre os bancos, BPM, UniCredit subiram 2,40% e 0,78%, respectivamente, com Intesa Sanpaolo estável. A petroleira Eni, por outro lado, teve queda de 1,84%.

Em Madri, o IBEX-35 foi na contramão dos demais e subiu 0,24%, a 10.013,18 pontos. Entre os bancos da Espanha, Santander avançou 1,25%, BBVA ganhou 1,30% e Banco de Sabadell, 0,61%. Iberdrola subiu 0,63%, mas Repsol recuou 3,10%.

Na Bolsa de Lisboa, o índice PSI-20 recuou 0,16%, a 5.260,18 pontos. Banco Comercial Português subiu 0,52% e EDP-Energias de Portugal ganhou 1,11%, mas Galp Energia caiu 1,52% e Jerónimo Martins teve baixa de 1,01%.

Fonte Oficial: https://worldcambio.com.br/wp-content/uploads/2017/11/jornal-do-comercio-bolsas-da-europa-fecham-na-maioria-em-baixa-com-setor-de-energia-sob-pressao.br_conteudo/2017/11/economia/596425-bolsas-da-europa-fecham-na-maioria-em-baixa-com-setor-de-energia-sob-pressao.html.

Os textos, informações e opiniões publicados neste espaço são de total responsabilidade do(a) autor(a). Logo, não correspondem, necessariamente, ao ponto de vista do World Câmbio.

Comentários

você pode gostar também

Quer fazer parte de nosso grupo?

Inscreva-se em nossa newsletter!