Jornal do Comércio >> Dólar recua com ajustes pós-feriado e dúvidas sobre reforma tributária dos EUA

O dólar opera em queda desde o início dos negócios desta quinta-feira (16) após ter fechado em alta na última Terça-feira (14). O mercado cambial ajusta-se à desvalorização da moeda norte-americana na véspera no exterior, durante o feriado no Brasil, e à persistente baixa nesta manhã do dólar em relação a divisas emergentes e ligadas a commodities.

As atenções em âmbito global estão voltadas para a votação da proposta de reforma tributária dos Estados Unidos, elaborada pelos deputados republicanos, na Câmara dos representantes nesta quinta-feira, depois que o presidente americano, Donald Trump, se encontrar com congressistas republicanos no Capitólio.

Às 9h38min, o dólar à vista caía 0,36%, aos R$ 3,2980. O dólar futuro de dezembro recuava 0,45%, aos R$ 3,3040 neste mesmo horário. Lá fora, o Dollar Index subia 0,17%, mas a moeda americana recuava ante o peso chileno (-0,09%), o peso mexicano (-0,35%), o rublo russo (-0,43%), a lira turca (-0,38%) e o rand sul africano (-0,70%).

Nesta quarta-feira, 15, o plano de senadores republicanos de adicionar ao projeto de reforma tributária a controversa eliminação de parte do Obamacare aumentou o ceticismo dos investidores em relação à agenda legislativa de Trump, pressionando o dólar para baixo.

Além disso, o senador republicano Ron Johnson (Wisconsin) disse que se opõe ao pacote tributário apresentado por senadores do partido e não irá votar nesse projeto, porque a medida beneficia injustamente as empresas mais do que outros tipos de negócios.

Ao mau humor generalizado somou-se mais um dia de recuo dos preços do petróleo com o aumento nos estoques nos EUA. Também provocou mal-estar a notícia de que deputados democratas apresentaram artigos que embasam o pedido de impeachment contra Trump. Eles alegam que o presidente americano tentou obstruir a Justiça na demissão de James Comey, que até maio era diretor da Agência Federal de Investigações (FBI, na sigla em inglês).

Entre os indicadores divulgados na quarta, o CPI dos EUA subiu 0,1% em outubro ante setembro, como previsto. Excluindo-se itens voláteis, como alimentos e energia, o chamado núcleo do CPI subiu 0,2% em outubro ante setembro, também como previsto pelos economistas.

Na comparação anual, a inflação ao consumidor avançou 2% em outubro, na primeira desaceleração desde junho. Em setembro, o avanço anual estava em 2,2%. Já o núcleo do CPI subiu 1,8% em outubro na comparação anual, em seu patamar mais forte desde abril.

De outro lado, as vendas no varejo dos EUA avançaram 0,2% em outubro ante setembro, ante estimativas de alta menor, de 0,1% dos analistas. Na comparação anual, as vendas tiveram crescimento de 4,6%. As vendas no varejo avançaram 1,9% em setembro ante o mês anterior, mostrou a revisão do dado.

Após esses dados, o presidente da distrital de Boston do Federal Reserve (Fed, o banco central americano), Eric Rosengren, disse que o caminho que a economia americana deve trilhar aponta para a continuidade da elevação dos juros no país, fazendo com que o Fed precise atuar novamente em dezembro.

Fonte Oficial: https://worldcambio.com.br/wp-content/uploads/2017/11/jornal-do-comercio-dolar-recua-com-ajustes-pos-feriado-e-duvidas-sobre-reforma-tributaria-dos-eua.br_conteudo/2017/11/economia/596553-dolar-recua-com-ajustes-pos-feriado-e-duvidas-sobre-reforma-tributaria-dos-eua.html.

Os textos, informações e opiniões publicados neste espaço são de total responsabilidade do(a) autor(a). Logo, não correspondem, necessariamente, ao ponto de vista do World Câmbio.

Comentários

você pode gostar também

Quer fazer parte de nosso grupo?

Inscreva-se em nossa newsletter!