Jornal do Comércio >> PIB gaúcho caiu em 2015, mas manteve quarta posição na economia nacional

O Produto Interno Bruto (PIB) do Rio Grande do Sul apresentou queda de 4,6% em 2015, após variação negativa de 0,3% em 2014. O resultado ficou abaixo da taxa nacional, de 3,5%. Em termos nominais, a economia gaúcha atingiu R$ 381,99 bilhões em 2015, aumentando a sua participação no PIB nacional para 6,4%, frente os 6,2% de 2014. Apesar da queda no ano, o Estado permanece na quarta posição do ranking nacional.

De acordo com os dados divulgados nesta quinta-feira (16) pela Fundação de Economia e Estatístca (FEE), o desempenho do PIB, em volume, foi determinado pela queda da indústria e dos serviços, de 10,8% e 3,7% respectivamente. Já a agropecuária teve crescimento de 9,5%, com destaque para a agricultura, que apresentou desempenho positivo de 13,9%, sobretudo pela excelência da safra da soja.

O desempenho da indústria é explicado pelo comportamento da indústria de transformação (-12,7%), da construção civil (-7,0%) e da extrativa (-3,0%), enquanto a atividade de eletricidade, gás e água (0,0%) se manteve estável. A retração do setor de serviços ocorreu em todas as atividades, mas a queda de 9,4% do comércio é mais sensível.

Em 2015, o PIB per capita do Rio Grande do Sul foi de R$ 33.960,36, sendo 15,8% maior que o PIB per capita nacional, que atingiu R$ 29.326,33. Entre as unidades da Federação, o RS iniciou, em 2002, na quinta posição, sendo seguido pelo Paraná. Em 2005 e 2006, o RS passou para sexto lugar e, em 2007 e 2008, para sétimo. Entre 2009 e 2011, o Estado voltou a ocupar a sexta posição e, em 2012 e 2013, voltou a ficar em sétimo lugar, perdendo posição para o Paraná. Contudo, em 2014, o RS retomou o sexto lugar, seguido pelo Espírito Santo. Em 2015, o RS voltou a apresentar o quinto maior PIB per capita entre os estados, posicionando-se à frente do Paraná e atrás de Santa Catarina.

PIB caiu em todos os Estados em 2015, revela IBGE

 Todos os Estados brasileiros registraram queda no Produto Interno Bruto (PIB) em 2015 ante 2014, segundo os dados das Contas Regionais, divulgados nesta quinta-feira (16) pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). Foi a primeira vez que todos os Estados registraram queda no PIB num mesmo ano desde o início da série histórica das Contas Regionais, iniciada em 2002.

 O PIB de São Paulo, que respondeu por 32,4% do total do País, recuou 4,1%, acima da média nacional, que ficou em 3,5%, conforme dado definitivo divulgado semana passada pelo IBGE. Em 2014, São Paulo respondeu por fatia um pouco maior (32,4%) do PIB total, mas, desde o início da série histórica, a perda é de 2,5 ponto porcentual. Em 2002, São Paulo respondia por 34,9% do PIB brasileiro.

Outros Estados com grande peso no PIB também foram destaque de queda. O PIB de Minas Gerais recuou 4,3% em 2015 ante 2014. O PIB do Rio de Janeiro encolheu menos do que a média nacional, com recuo de 2,8%. Juntos, São Paulo, Minas, Rio, Rio Grande do Sul e Paraná responderam por 64,7% do PIB nacional.

O pior desempenho regional ficou com o Amapá, que viu seu PIB tombar 5,5% em 2015. O melhor desempenho ficou com o Mato Grosso do Sul, cujo PIB encolheu apenas 0,3%. Logo em seguida veio Roraima, com perda também de 0,3%.

O PIB do Brasil em 2015 foi de R$ 5,996 trilhões, como informado na semana passada. São Paulo somou R$ 1,940 trilhão, seguido por Rio de Janeiro (R$ 659 bilhões), Minas Gerais (R$ 519 bilhões) e Rio Grande do Sul (R$ 382 bilhões).

Os três Estados com menor atividade econômica foram Roraima (R$ 10,354 bilhões), Acre (R$ 13,622 bilhões) e Amapá (R$ 13,861 bilhões).

Com informações da Agência Estado.

Fonte Oficial: http://jcrs.uol.com.br/_conteudo/2017/11/economia/596572-pib-gaucho-cai-em-2015-mas-mantem-quarta-posicao-na-economia-nacional.html.

Os textos, informações e opiniões publicados neste espaço são de total responsabilidade do(a) autor(a). Logo, não correspondem, necessariamente, ao ponto de vista do World Câmbio.

Comentários

você pode gostar também

Quer fazer parte de nosso grupo?

Inscreva-se em nossa newsletter!