Jornal do Comércio >> Bolsas da Europa fecham em baixa com Draghi, Brexit e euro mais forte

Os mercados acionários europeus fecharam em baixa nesta sexta-feira, influenciados pelo discurso do presidente do Banco Central Europeu (BCE), Mario Draghi, pelas negociações do Brexit e pelo euro mais forte em relação ao dólar.

O índice pan-europeu Stoxx-600 fechou em queda de 0,30% (-1,16 ponto), aos 383,77 pontos. Na semana, houve recuo de 1,27%.

Os ganhos registrados na quinta-feira, em solo europeu, foram parcialmente dissipados nesta sexta-feira. O otimismo gerado com a aprovação da reforma tributária na Câmara dos Representantes dos Estados Unidos fez com que as bolsas europeias seguissem o sinal positivo de Nova York no dia seguinte. O movimento continuou o mesmo durante a abertura, mas o sinal negativo passou a imperar após comentários de Draghi, do BCE.

Em discurso realizado em Frankfurt, Draghi foi confiante ao falar sobre a retomada da atividade na zona do euro, mas ressaltou que uma abordagem “paciente e persistente” da atuação do BCE ainda é necessária. Em relação à inflação, o dirigente comentou que o avanço dos preços ainda é parcial, apesar de os índices estarem se distanciando aos poucos dos baixos níveis recentes. “Os desdobramentos inflacionários continuam contidos”, avaliou. Para ele, há pouca evidência de que a política montaria esteja afetando os lucros bancários.

Libra e euro mais fortes também pesaram nas ações. As moedas subiram em relação ao dólar ao passo em que avançam às investigações sobre a interferência russa na eleição presidencial americana do ano passado. No fim da noite de quinta-feira, foi revelado que o conselheiro responsável pela investigação, Robert Mueller, intimou integrantes da campanha do presidente dos EUA, Donald Trump, a depor, o que mostra que a investigação está chegando perto do republicano à medida que os congressistas discutem sobre a reforma tributária. A notícia exerceu uma pressão baixista contra o dólar.

A saída do Reino Unido da União Europeia (Brexit) também voltou ao radar dos investidores. O secretário britânico para o Brexit, David Davis, sugeriu que Alemanha e França estariam bloqueando as negociações do processo de divórcio. Em uma cúpula de líderes da UE na Suíça, diversas autoridades alertaram a primeira-ministra do Reino Unido, Theresa May, de que o país terá de se esforçar mais para conseguir acordos comerciais com o bloco. A notícia chegou a enfraquecer a libra, mas não impediu que houvesse queda de 0,08%, aos 7.380,68 pontos, do índice FTSE-100 da Bolsa de Londres. Na semana, a baixa foi de 0,70%.

Em Frankfurt, o índice DAX recuou 0,41%, aos 12.933,73 pontos, com perda de 1,02% na semana. Entre as montadoras, a Daimler perdeu 0,75% e a BMW cedeu 0,56%. Já o índice CAC-40, da bolsa de Paris, fechou em baixa de 0,32%, com recuo semanal de 1,14%, tendo sido pressionado pela Renault (-0,33%) e pela Peugeot (-2,79%).

Em Madri, o índice Ibex-35 fechou em queda de 0,78%, aos 10.010,40 pontos, com baixa semanal de 0,82%. Já em Lisboa, o índice PSI-20 perdeu 0,25%, aos 5.258,75 pontos, caindo 0,81% na semana. Em Milão, o índice FTSE-Mib caiu 0,51% no dia e 2,07% na semana, encerrando a 22.092,95 pontos. 

Fonte Oficial: https://worldcambio.com.br/wp-content/uploads/2017/11/jornal-do-comercio-bolsas-da-europa-fecham-em-baixa-com-draghi-brexit-e-euro-mais-forte.br_conteudo/2017/11/economia/596860-bolsas-da-europa-fecham-em-baixa-com-draghi-brexit-e-euro-mais-forte.html.

Os textos, informações e opiniões publicados neste espaço são de total responsabilidade do(a) autor(a). Logo, não correspondem, necessariamente, ao ponto de vista do World Câmbio.

Comentários

você pode gostar também

Quer fazer parte de nosso grupo?

Inscreva-se em nossa newsletter!