Jornal do Comércio >> Cobre opera em baixa, de olho nos sinais dos EUA e no câmbio

O cobre opera em queda na manhã desta segunda-feira (20). O metal reage a notícias do setor divulgadas na sexta-feira nos Estados Unidos e também fica um pouco pressionado pelo dólar mais forte, embora esse movimento cambial seja modesto.

Às 9h (de Brasília), o cobre para três meses tinha baixa de 0,52%, a US$ 6.728,50 a tonelada. Às 9h13min, o cobre para dezembro caía 0,15%, a US$ 3,0625 a libra-peso, na Comex, divisão de metais da New York Mercantile Exchange (Nymex).

Na sexta-feira, a Comissão de Negociações de Futuros de Commodities dos EUA revelou que fundos de hedge venderam cobre por uma terceira semana consecutiva, na semana passada.

No câmbio, o dólar avança em relação ao euro, após a moeda comum ficar pressionada diante das dificuldades da chanceler Angela Merkel de conseguir formar uma coalizão de governo na Alemanha. O dólar avança em relação a uma cesta de moedas fortes nesta manhã, embora sem muito impulso. O dólar forte torna o cobre mais caro para os detentores de outras divisas, o que reduz o apetite dos investidores.

Entre outros metais básicos negociados na LME, o zinco caía 0,71%, a US$ 3.160,50 a tonelada, o alumínio tinha baixa de 1,37%, a US$ 2.080,50 a tonelada, o estanho estava estável, a US$ 19.500 a tonelada, o níquel recuava 0,22%, a US$ 11.570 a tonelada, e o chumbo caía 0,59%, a US$ 2.430,50 a tonelada.

Fonte Oficial: https://worldcambio.com.br/wp-content/uploads/2017/11/jornal-do-comercio-cobre-opera-em-baixa-de-olho-nos-sinais-dos-eua-e-no-cambio.br_conteudo/2017/11/economia/597081-cobre-opera-em-baixa-de-olho-nos-sinais-dos-eua-e-no-cambio.html.

Os textos, informações e opiniões publicados neste espaço são de total responsabilidade do(a) autor(a). Logo, não correspondem, necessariamente, ao ponto de vista do World Câmbio.

Comentários

você pode gostar também

Quer fazer parte de nosso grupo?

Inscreva-se em nossa newsletter!