Jornal do Comércio >> Política alemã deixa euro mais fraco e bolsas da Europa fecham em alta

Os mercados acionários europeus fecharam majoritariamente em alta nesta terça-feira, apoiados por um euro mais fraco à medida que os investidores digerem informações sobre a política na Alemanha.

O índice pan-europeu Stoxx-600 fechou em alta de 0,42% (+1,61 ponto), aos 388,00 pontos.

A política alemã continuou a ser monitorada pelos investidores, após o fracasso nas negociações de uma coalizão para o quarto mandato de Angela Merkel como chanceler. A fim de tentar resolver o impasse, o presidente da Alemanha, Frank-Walter Steinmeier irá conversar ainda hoje com o líder do Partido Democrático Livre (FDP), Christian Lindner, e, amanhã, com o social-democrata Martin Schülz. No entanto, se a formação de um novo governo não for possível, há duas possibilidades: um governo de minoria ou novas eleições.

“O mercado gostaria de ver um governo de maioria estável para a maior economia da Europa, o que permitirá um planejamento confiável. Enquanto a incerteza em Berlim permanecer, os investidores provavelmente irão evitar o euro”, comentaram estrategistas do Commerzbank. Em Frankfurt, o índice DAX fechou em alta de 0,83%, aos 13.167,54 pontos, apoiado, principalmente, por montadoras, após o Goldman Sachs ter salientado que setores como o automotivo irão impulsionar o Stoxx-600 nos próximos 12 meses. A BMW subiu 1,88% e a Volkswagen avançou 3,02%.

Na bolsa de Paris, o índice CAC-40 fechou em alta de 0,48%, aos 5.366,15 pontos. Por lá, ainda repercute a última pesquisa de opinião do instituto Ifop, que aponta para uma alta de 4 pontos porcentuais na popularidade do presidente Emmanuel Macron, para 46% em novembro, o que dá aval para que o governo continue a ofensiva pela reforma trabalhista. “O início deste governo não segue as pesquisas de opinião observadas nos últimos anos”, observa o vice-diretor-geral do Ifop, Frédéric Dabi, afirmando que, após uma queda, não havia uma recuperação imediata.

No Reino Unido, a política também chamou a atenção dos investidores. Às vésperas da apresentação do orçamento do próximo ano, o governo de Theresa May ganhou um voto de confiança do mercado, que voltou a comprar a libra esterlina, após relatos de que o gabinete de May teria concordado com o aumento do montante que o Reino Unido pagará à União Europeia pela saída do bloco. O novo acordo do Brexit ofereceria 49 bilhões de euros em pagamento, o dobro do sugerido anteriormente.

Apesar da libra valorizada, o índice FTSE-100 fechou em alta de 0,30%, aos 7.411,34 pontos. No campo positivo, no entanto, esteve a easyJet. Apesar de o lucro da companhia ter caído 24% entre julho e setembro deste ano na comparação com o mesmo período do ano passado, a empresa disse que o tráfego de passageiros aumentou durante o ano fiscal. A easyJet saltou 5,09%.

Em Milão, o índice FTSE-MIB avançou 0,62%, aos 22.326,44 pontos, enquanto o índice PSI-20, da bolsa de Lisboa, subiu 0,21%, aos 5.291,59 pontos. O índice Ibex-35, de Madri, destoou dos demais e fechou em baixa de 0,32%, aos 9.993,40 pontos.

Fonte Oficial: https://worldcambio.com.br/wp-content/uploads/2017/11/jornal-do-comercio-politica-alema-deixa-euro-mais-fraco-e-bolsas-da-europa-fecham-em-alta.br_conteudo/2017/11/economia/597435-politica-alema-deixa-euro-mais-fraco-e-bolsas-da-europa-fecham-em-alta.html.

Os textos, informações e opiniões publicados neste espaço são de total responsabilidade do(a) autor(a). Logo, não correspondem, necessariamente, ao ponto de vista do World Câmbio.

Comentários

você pode gostar também

Quer fazer parte de nosso grupo?

Inscreva-se em nossa newsletter!