Valor >> Assembleia de SP aprova lei que facilita “sujar” nome de consumidor

SÃO PAULO  –  A Assembleia Legislativa de São Paulo aprovou na noite desta terça-feira um projeto de lei que facilita “sujar” o nome do consumidor inadimplente. De autoria do governador do Estado, Geraldo Alckmin (PSDB), a proposta acaba com a necessidade de aviso prévio, por meio da confirmação de recebimento (Aviso de Recebimento – AR), para a inclusão do devedor em listas mantidas por serviços de proteção ao crédito, como a Serasa. O texto recebeu 53 votos favoráveis e 12 contrários.

Sem a necessidade de ter um documento assinado pelo consumidor, como Aviso de Recebimento (AR), o inadimplente poderá ter seu nome incluído na lista “suja” se as empresas provarem que tentaram comunicá-lo. Essa comunicação poderá ser feita até mesmo por Whatsapp ou e-mail.

A mudança na lei que trata da cobrança dos inadimplentes é patrocinada pela Federação das Associações Comerciais do Estado de São Paulo (Facesp), com cerca de 400 entidades. Para o presidente da federação, Alencar Burti, a necessidade do “Aviso de Recebimento” é nefasta e ineficaz. Já a legislação atual tem apoio de entidades que representam cartórios.

O líder do governo, Barros Munhoz (PSDB), usou seu discurso no plenário para defender Alencar Burti e disse que queria aprovar o projeto rapidamente para comemorar a “vitória” amanhã, durante o congresso das Associações Comerciais do Estado. “As associações comerciais vão se congraçar sob o comando desse grande cidadão chamado Alencar Burti e é justo que a Assembleia faça essa homenagem ao comércio de São Paulo”.

O deputado Campos Machado (PTB), um dos principais opositores à proposta, disse que vai ajuizar uma Ação Direta de Inconstitucionalidade (Adin) contra o projeto por considerar que o texto fere os princípios de perda de direitos do consumidor. Para Machado, o inadimplente corre o risco de não ser avisado de que terá seu nome “sujo”, incluído na lista de entidades de proteção ao crédito. “É uma mudança grave. Daqui a pouco vão querer fazer notificação pelo Whatsapp até mesmo em ação de despejo. Vamos levar essa discussão para o Judiciário”, disse o parlamentar, líder do PTB na Assembleia.

Para o deputado José Américo (PT), a proposta resultará em uma “cobrança em massa, para constranger o consumidor”. Jorge Wilson (PRB), conhecido como “Xerife do consumidor”, disse que a melhor forma de receber de quem está com dívida é negociar e não sujar o nome do consumidor. “Muitos casos são de pessoas que perderam o emprego e estão passando por uma situação difícil”, disse. Para o deputado, os consumidores ficaram reféns de instituições financeiras e de proteção ao crédito. “Quem garante que vão notificar mesmo?”.

Com amplo apoio da base governista, a alteração aprovada representa uma mudança radical na postura dos deputados estaduais em relação à cobrança dos devedores.

Em 2013, os parlamentares aprovaram o projeto do ex-deputado e ex-presidente nacional do PT Rui Falcão, que exige a assinatura do consumidor inadimplente (AR) para provar o aviso sobre a cobrança da dívida. Alckmin vetou esse projeto, mas os deputados estaduais travaram uma disputa com o governador, derrubaram o veto em 2014 e a lei passou a vigorar em janeiro de 2015. Na época da aprovação, a Assembleia era presidida por Samuel Moreira (PSDB), atual secretário da Casa Civil do governo Alckmin.

Fonte Oficial: http://www.valor.com.br/politica/5201199/assembleia-de-sp-aprova-lei-que-facilita-sujar-nome-de-consumidor.

Os textos, informações e opiniões publicados neste espaço são de total responsabilidade do(a) autor(a). Logo, não correspondem, necessariamente, ao ponto de vista do World Câmbio.

Comentários

você pode gostar também

Quer fazer parte de nosso grupo?

Inscreva-se em nossa newsletter!