Valor >> Ibovespa sobe de olho na reforma da Previdência e no mercado exterior

SÃO PAULO  –  O Ibovespa passou por um movimento de correção de preços e fechou com alta de 1,58% aos 74.595 pontos, nesta terça-feira (21). Durante o pregão, o índice chegou a marcar 75.073 pontos, o maior patamar intradia desde 3 de novembro. De acordo com operadores, o Ibovespa busca um novo patamar depois de perder os 78 mil pontos, registrados em outubro. Pela análise gráfica, após o rompimento da resistência dos 74.500 pontos, o índice pode testar um novo patamar, ao redor dos 77 mil pontos.

Hoje, o movimento positivo do Ibovespa teve dois fatores principais: a alta das bolsas americanas e a maior confiança dos investidores na aprovação da reforma da Previdência. O giro financeiro ficou em R$ 13,55 bilhões, inflado pelo exercício de opções sobre ações, que movimentou R$ 3,5 bilhões.

Ontem, o ministro da Fazenda, Henrique Meirelles, disse que espera a aprovação da reforma da Previdência na Câmara dos Deputados em 6 de dezembro. Já o presidente da Câmara, Rodrigo Maia, afirmou, nesta terça, que colocará a reforma da Previdência em votação pelo plenário da Câmara assim que obtiver os 308 votos necessários para a sua aprovação.

No cenário interno, os investidores analisam a notícia publicada na coluna do jornalista Raymundo Costa, do Valor, de que o presidente Michel Temer deve disputar a reeleição, se der certo a articulação em curso, no Palácio do Planalto e no Congresso, para constituir uma aliança partidária a fim de “defender o legado do governo” em 2018.

Para o economista da Modalmais, Álvaro Bandeira, a disputa de Temer pela reeleição pode embaralhar ainda mais o cenário político no ano que vem. 

“Com 3% de aprovação é difícil ser candidato. Se até o meio do ano que vem ele chegar a 12% de aprovação então será possível disputar a eleição”, diz Bandeira. O economista afirma que o estilo político de Temer já é conhecido pelo mercado financeiro, entretanto, é preciso conhecer qual será seu plano de governo.

O analista Vitor Suzaki, da Lerosa Investimentos, diz que a participação de Temer na disputa à Presidência vai ampliar o número de candidatos moderados concorrendo ao pleito.

“Quanto mais candidatos moderados maior vai ser a dispersão de votos, podendo tornar o segundo turno imprevisível, o que não é favorável ao mercado financeiro”, diz.

Entre as ações negociadas no Ibovespa, os papéis da Smiles tiveram destaque e subiram 5,97%, sustentadas pela valorização dos papéis de sua controladora, a Gol, que ganhou 4,93%, e não faz parte do Ibovespa.

Os papéis das companhias aéreas subiram no pregão com os investidores atentos à votação no Senado que pode reduzir custos do setor de aviação com os combustíveis. Consta da pauta de votações o projeto que fixa o limite de 12% para a alíquota do Imposto sobre Circulação de Mercadorias e Serviços (ICMS) sobre o combustível de aviação utilizado em operações, dentro do país, de transporte aéreo regular, não regular e de serviços aéreos especializados.

Os papéis dos setores com maior peso no Ibovespa – bancos e commodities – também subiram e colocaram o índice no terreno positivo. As ações PNA da Usiminas tiveram a maior alta do dia e subiram 7,10%, os papéis ON da Vale ganharam 3,43%. Entre as ações dos bancos, o destaque ficou com a PN do Bradesco, que ganhou 2,29%.

Fonte Oficial: http://www.valor.com.br/financas/5200959/ibovespa-sobe-de-olho-na-reforma-da-previdencia-e-no-mercado-exterior.

Os textos, informações e opiniões publicados neste espaço são de total responsabilidade do(a) autor(a). Logo, não correspondem, necessariamente, ao ponto de vista do World Câmbio.

Comentários

você pode gostar também

Quer fazer parte de nosso grupo?

Inscreva-se em nossa newsletter!