Jornal do Comércio >> Taxas de juros fecham perto dos ajustes da terça, após alta se dissipar à tarde

Os juros futuros fecharam a sessão regular com taxas próximas da estabilidade. Após percorrerem a primeira etapa em alta, a pressão se dissipou no início da tarde desta quarta-feira (22) em linha com a melhora vista no mercado de moedas de economias emergentes e no rendimentos dos Treasuries, que passaram a cair. Também à tarde, a cautela com a reforma da Previdência, que pautou o mercado pela manhã, parece ter perdido força.

A taxa do contrato de Depósito Interfinanceiro (DI) para janeiro de 2019 fechou estável em 7,19% e a taxa do DI para janeiro de 2020 passou de 8,42% para 8,43%. A taxa do DI para janeiro de 2021 terminou em 9,25%, mesmo nível do ajuste de terça-feira, e a taxa do DI para janeiro de 2023 encerrou em 10,03%, de 10,01%.

O mercado começou o dia dando sequência ao movimento visto no final da tarde de terça, após as declarações do presidente da Câmara, Rodrigo Maia (DEM-RJ), de que o governo está longe de conseguir os 308 votos necessários para aprovar a reforma. Nesta quarta, pela manhã, Maia reiterou que ainda é preciso conversar com parlamentares para definir a viabilidade de se colocar na pauta da Casa a votação da reforma. “A gente não deve precipitar data se não tivermos a clareza dos votos”, justificou.

No começo da tarde, o mercado começou a melhorar, na medida em que o dólar passou a cair e também o yield dos Treasuries. Além disso, o ex-ministro das Cidades Bruno Araújo, ao deixar a reunião da Executiva do PSDB, disse que o partido não vai fechar questão sobre o apoio à reforma da Previdência, mas vai fazer “uma recomendação forte em apoio”.

Ao mesmo tempo, o Planalto, segundo fontes, teria decidido por definir o deputado Carlos Marun (PMDB-MT) como novo ministro da Secretaria de Governo, no lugar de Antonio Imbassahy (PSDB). Marun é líder da tropa de choque de Temer na Câmara, o que pode ajudar na tramitação do texto. Oficialmente, porém, o Planalto afirma que Antonio Imbassahy continuará no cargo.

A expectativa agora gira em torno da apresentação da nova versão do texto pelo relator da reforma da Previdência, deputado Arthur Oliveira Maia (PPS-BA), que já mostrou os principais pontos aos governadores em reunião com o presidente Temer no final da manhã e mais tarde detalhará também às lideranças políticas em jantar no Alvorada. O ministro da Fazenda, Henrique Meirelles, confirmou que o novo texto terá um efeito fiscal equivalente a 60% da economia prevista originalmente na proposta do governo.

No câmbio, às 16h35min, o dólar à vista recuava 0,50%, aos R$ 3,2355, e, no exterior, a T-Note de dez anos projetava juro de 2,333%, ante patamar de 2,35% na terça-feira.

Fonte Oficial: https://worldcambio.com.br/wp-content/uploads/2017/11/jornal-do-comercio-taxas-de-juros-fecham-perto-dos-ajustes-da-terca-apos-alta-se-dissipar-a-tarde.br_conteudo/2017/11/economia/597705-taxas-de-juros-fecham-perto-dos-ajustes-da-terca-apos-alta-se-dissipar-a-tarde.html.

Os textos, informações e opiniões publicados neste espaço são de total responsabilidade do(a) autor(a). Logo, não correspondem, necessariamente, ao ponto de vista do World Câmbio.

Comentários

você pode gostar também

Quer fazer parte de nosso grupo?

Inscreva-se em nossa newsletter!