Jornal do Comércio >> Câmara recua e reduz aumento do percentual de royalties da mineração

Apesar da pressão de estados com forte atividade mineradora, como Minas Gerais e Pará, o plenário da Câmara dos Deputados aprovou Medida Provisória (MP) estabelecendo em 3,5% a alíquota do Compensação Financeira pela Exploração de Recursos Minerais (Cfem) para o minério de ferro.

O texto original da MP 789, de julho, estabeleceu uma alíquota flutuante para os royalties de 2% a 4%, com base no preço do minério de ferro no mercado internacional – quanto maior a cotação, maior seria a taxa.

A comissão do Congresso que analisou o assunto, entretanto, mudou a tabela da Cfem e aprovou a cobrança de um percentual fixo de 4%. Vários deputados queriam manter os 4%, mas os governistas venceram o debate argumentando que a alíquota maior colocaria o projeto sobre risco, devido à forte oposição das grandes mineradoras.

Antes da edição da medida provisória, as empresas pagavam 2% sobre a receita líquida de exploração do ferro. A MP tem que ser aprovada ainda pelo Senado até a próxima terça-feira (28), caso contrário, perderá a validade. Estima-se que o aumento da alíquota de 2% para 3,5% vai gerar uma arrecadação extra de mais de R$ 1 bilhão para a União, estados e municípios.

Pelo texto da MP, as mineradoras de ouro passarão a pagar 1,5% em vez de 2%. Emenda do PT estabeleceu que potássio e outras substâncias usadas na fabricação de fertilizantes terão alíquota reduzida para 0,2%.

 

Fonte Oficial: https://worldcambio.com.br/wp-content/uploads/2017/11/jornal-do-comercio-camara-recua-e-reduz-aumento-do-percentual-de-royalties-da-mineracao.br_conteudo/2017/11/economia/597775-camara-recua-e-reduz-aumento-do-percentual-de-royalties-da-mineracao.html.

Os textos, informações e opiniões publicados neste espaço são de total responsabilidade do(a) autor(a). Logo, não correspondem, necessariamente, ao ponto de vista do World Câmbio.

Comentários

você pode gostar também

Quer fazer parte de nosso grupo?

Inscreva-se em nossa newsletter!