Jornal do Comércio >> Consumidor deve cuidar anúncios falsos na Black Friday

A publicidade aparece ininterruptamente pela internet até a véspera da Black Friday, que é nesta sexta-feira (24), e com ela, as fraudes podem estar camufladas em anúncios falsos com preços enganosos e vírus introduzidos em links, compartilhados principalmente via redes sociais e sites. Outra atitude preventiva para evitar decepções é acompanhar postagens na página e perfil da empresa na internet para saber se há mais reclamação do que elogios. 

O alerta é dado pelas empresas que lidam com segurança na rede, que têm, a missão de detectar os criminosos cibernéticos. A Nodes Tecnologia, de São Paulo, por exemplo, recomenda que os consumidores recobrem a atenção e não arrisquem em abrir e-mails com ofertas suspeitas. 

O diretor da Nodes Tecnologia, Eduardo Lopes, cita que identificou na primeira semana de novembro um falso e-mail em nome de uma grande loja de departamentos com uma oferta de uma Smart TV LED Ultra HD por R$ 1.049,00. “Quando na realidade o preço gira em torno de R$ 4 mil”, conta Lopes.

Esse anúncio está sendo distribuído no Brasil inteiro e, conforme o diretor, os criminosos cibernéticos aproveitam o período em que o consumidor pesquisa preços dos itens de interesse e também quando os lojistas iniciam a divulgação de suas ofertas. “É importante que o público adquira uma assinatura anual de solução antivírus avançada com capacidade de antecipar proteção contra essas ações fraudulentas”, sugere o diretor da Nodes.

Para o especialista em direitos do consumidor, Gleiber Pretti o mais importante nesta sexta é o consumidor não se empolgar para realizar compras rapidamente. A dica é que a pessoa compre após muita pesquisa. “Quando for comprar via martketplace (que é o ambiente de venda no ambiente virtual), o público deve verificar nos comentários existentes as reclamações ou elogios daquela loja”, indica Pretti, que visualiza constantemente anúncios de compras imperdíveis e a decepção da entrega não concretizada.

Pretti alerta também que é preciso calma quando se trata da distribuição de produtos de grande porte também, já que no período a demanda é grande. “Essas lojas conhecidas preservam o seu nome e normalmente resolvem qualquer tipo de problema que venha a aparecer”, afirma.

De qualquer forma, a dica é, caso haja falha ou demora excessiva no recebimento da encomenda, que o consumidor procure o Serviço de Atendimento ao Cliente (SAC) do varejo ou faça um comentário de forma técnica no site da loja. “Informando o ocorrido sem ofender a empresa”, orienta o especialista. Dessa forma, o retorno será facilitado, aposta.

Fonte Oficial: http://jcrs.uol.com.br/_conteudo/2017/11/economia/597849-consumidor-deve-cuidar-anuncios-falsos-na-black-friday.html.

Os textos, informações e opiniões publicados neste espaço são de total responsabilidade do(a) autor(a). Logo, não correspondem, necessariamente, ao ponto de vista do World Câmbio.

Comentários

você pode gostar também

Quer fazer parte de nosso grupo?

Inscreva-se em nossa newsletter!