Jornal do Comércio >> Pesquisa aponta que 19 categorias têm aumento de preço às vésperas da Black Friday

Os consumidores que querem comprar na Black Friday, amanhã, ainda têm tempo de monitorar os preços dos produtos que têm intenção de adquirir. Especialistas reforçam que pesquisar é essencial, tanto para verificar as ofertas apresentadas por diversas lojas quanto para ver se o preço do produto desejado não sofreu aumento alguns dias antes da data.

A prática é comprovada por levantamento feito neste mês pelo Zoom, site e app comparador de preços e produtos, que identificou aumento de preço em 19 categorias, o que representa 14% do total pesquisado.

Depilador elétrico foi o produto com o maior aumento de preço (20%) nas primeiras semanas de novembro, seguido por jogos do Nintendo Switch, com acréscimo de 9% no valor. Em seguida, aparecem babá eletrônica (4%), grill e sanduicheira (3,5%). Aparelho medidor de pressão, nobreak, jogos PSP, mochilas e processador de alimentos tiveram alta de 2% nos preços.

As outras categorias que apresentaram alta de preços em novembro foram: chuveiro e ducha (1,5%), transport elítico (1%), centrífuga e juicer (1%), mouse (0,99%), telefone (0,66%), cadeia para auto (0,60%), coifa e depurador de ar (0,49%), tênis (0,44%), mixer (0,23%) e churrasqueira (0,21%).

Cristiano Sobral, professor de Direito do Consumidor, alerta para casos de lojas que aumentam o preço dos produtos alguns dias antes para depois oferecer o desconto na Black Friday, voltando o item para o preço original. É a prática chamada “tudo pela metade do dobro”.

Segundo Thiago Rocha, especialista de produtos do Zoom, o consumidor deve decidir antes os produtos que pretende comprar e acompanhar com antecedência se os itens estão com um desconto real e, assim, fazer a melhor compra.

“Como não são todos os itens que entram em promoção, e sim aqueles que o varejo pretende liquidar os estoques, é importante ficar de olho antes do evento”, diz.

No dia, especificamente, vale dar uma última verificada do valor do produto ofertado por outros fornecedores e comparar com aquele que o consumidor achou o melhor preço para não cair no golpe de descontos falsos. O Procon-SP orienta que, ao fazer o levantamento, o consumidor deve imprimir a tela com o valor de compra do produto, o link, o nome da empresa, a data e a hora.

Vale guardar também folhetos com as promoções. Quem ainda não fez sua pesquisa, no entanto, não precisa se desesperar: sites de comparação de preços e aplicativos oferecem gráfico com a evolução dos preços de produtos para que se possa avaliar o desconto oferecido.

Fonte Oficial: https://worldcambio.com.br/wp-content/uploads/2017/11/jornal-do-comercio-pesquisa-aponta-que-19-categorias-tem-aumento-de-preco-as-vesperas-da-black-friday.br_conteudo/2017/11/economia/597720-pesquisa-aponta-que-19-categorias-tem-aumento-de-preco-as-vesperas-da-black-friday.html.

Os textos, informações e opiniões publicados neste espaço são de total responsabilidade do(a) autor(a). Logo, não correspondem, necessariamente, ao ponto de vista do World Câmbio.

Comentários

você pode gostar também

Quer fazer parte de nosso grupo?

Inscreva-se em nossa newsletter!