Jornal do Comércio >> Setor externo tem déficit de US$ 343 milhões em outubro, diz Banco Central

Após o superávit de US$ 434 milhões em setembro, o resultado das transações correntes ficou negativo em US$ 343 milhões em outubro, informou nesta quinta-feira (23) o Banco Central, por meio da Nota do Setor Externo à imprensa. A instituição projetava para o mês passado déficit em conta de US$ 1 bilhão. Apesar do déficit, o resultado de outubro é o melhor para o mês desde outubro de 2007, quando houve déficit de US$ 216,5 milhões.

A estimativa do BC, atualizada no Relatório Trimestral de Inflação (RTI) de setembro, é de que o rombo externo de 2017 seja de US$ 16,0 bilhões. Para 2018, a projeção do BC é de déficit de US$ 30,0 bilhões.

A balança comercial registrou saldo positivo de US$ 4,911 bilhões em outubro, enquanto a conta de serviços ficou negativa em US$ 2,704 bilhões. A conta de renda primária também ficou deficitária, em US$ 2,765 bilhões. No caso da conta financeira, o resultado ficou no azul em US$ 22 milhões.

No acumulado do ano até outubro, o rombo nas contas externas soma US$ 3,033 bilhões.

Já nos últimos 12 meses até outubro deste ano, o saldo das transações correntes está negativo em US$ 9,648 bilhões, o que representa 0,48% do Produto Interno Bruto (PIB).

A remessa de lucros e dividendos de companhias instaladas no Brasil para suas matrizes foi de US$ 1,454 bilhão em outubro, informou o Banco Central. A saída líquida representa um volume menor que os US$ 1,566 bilhão que foram enviados em igual mês do ano passado, já descontados os ingressos.

No acumulado de janeiro a outubro deste ano, a saída líquida de recursos via remessa de lucros e dividendos alcançou US$ 15,701 bilhões. O total é superior ao registrado em igual período do ano passado, quando as remessas foram de US$ 13,723 bilhões. A expectativa do BC é de que a remessa de lucros e dividendos deste ano some US$ 23,0 bilhões. Para 2018, o cálculo é de US$ 25,5 bilhões.

O BC informou também que as despesas com juros externos somaram US$ 1,337 bilhão em outubro, ante US$ 1,464 bilhão em igual mês do ano passado. No acumulado do ano, essas despesas alcançaram US$ 18,587 bilhões, valor maior que os US$ 17,458 bilhões de igual período do ano passado. Para este ano, o BC projeta pagamento de juros no valor de US$ 23,5 bilhões. No caso de 2018, a cifra estimada é de US$ 20,5 bilhões.

O saldo negativo de viagens internacionais cresceu quase 20% em outubro, informou o Banco Central. No mês passado, quando o dólar subiu mais de 3% ante o real, a diferença entre o que os brasileiros gastaram lá fora e o que os estrangeiros desembolsaram no Brasil resultou em saldo negativo de US$ 1,174 bilhão. Em igual mês de 2016, o déficit havia sido de US$ 988 milhões. Em um ano, portanto, houve alta de 18,8%.

O desempenho da conta de viagens internacionais foi determinado por despesas de brasileiros no exterior, que somaram US$ 1,637 bilhão em outubro. Já o gasto dos estrangeiros em passeio pelo Brasil ficou em US$ 463 milhões no mês passado.

No acumulado do ano até outubro, o saldo líquido dessa conta está negativo em US$ 10,959 bilhões. Em igual período do ano passado, esse valor era de US$ 8,473 bilhões. Para 2017, o BC estima um déficit de US$ 13,5 bilhões para esta rubrica, mais que os US$ 8,473 bilhões de déficit registrados em 2016. No caso de 2018, a projeção do BC é de déficit de US$ 17,3 bilhões em viagens.

Fonte Oficial: http://jcrs.uol.com.br/_conteudo/2017/11/economia/597857-setor-externo-tem-deficit-de-us-343-milhoes-em-outubro-diz-banco-central.html.

Os textos, informações e opiniões publicados neste espaço são de total responsabilidade do(a) autor(a). Logo, não correspondem, necessariamente, ao ponto de vista do World Câmbio.

Comentários

você pode gostar também

Quer fazer parte de nosso grupo?

Inscreva-se em nossa newsletter!