Meirelles diz que reforma da Previdência deve ser votada ainda este ano |

O ministro da Fazenda, Henrique Meirelles, disse hoje (21) que está tudo “acertado” para que a reforma da Previdência seja votada ainda este ano. Segundo ele, as alterações propostas pelo relator da matéria na Câmara, deputado Arthur Maia (PPS-BA), estão em “fase final de ajustes”.

Meirelles participou nesta terça de audiência pública conjunta de quatro comissões da Câmara: de Finanças e Tributação, de Fiscalização Financeira e Controle, de Desenvolvimento Econômico, Indústria, Comércio e Serviços, e de Trabalho, Administração e Serviço Público.

Brasília - O ministro da Fazenda, Henrique Meirelles, participa de audiência pública na Câmara dos Deputados sobre o panorama da economia e a composição da dívida pública brasileira (Wilson Dias/Agência Brasil)

O ministro da Fazenda, Henrique Meirelles, participa de audiência pública na Câmara dos DeputadosWilson Dias/Agência Brasil

Em sua apresentação, o ministro recorreu a gráficos e números para falar sobre o ajuste fiscal e mostrar que “o país saiu da recessão e que todos os indicadores apontam nessa direção”.

Ao comparar a situação atual da economia ao começo do governo do presidente Michel Temer, Meirelles destacou que a inflação acumulada em maio de 2016 era de 9,3% e que agora, em novembro, está em 2,7%. “Em decorrência, nesse mesmo período, os juros da Selic [taxa básica de juros] também caíram de 14,25% [ao ano] para 7,5%, e o risco pais para os títulos com vencimento em cinco anos, foram de 328 para 173 pontos base”.

O ministro também destacou que o corte gradual das despesas do Governo Central (Tesouro Nacional, Previdência Social e Banco Central) ocorreu sem aumento da carga tributária, mas reafirmou que o ajuste tem que vir de mudanças nas despesas obrigatórias, especialmente as da Previdência.

Ao defender a aprovação das mudanças na aposentadoria, Meirelles disse aos deputados que a reforma da Previdência é a prioridade do governo neste momento e que se não for aprovada, o Brasil terá que aprender a viver com as consequências. “É uma questão de números. Sem reforma, dentro de 10 anos, 70% do Orçamento irá para a Previdência.”

Grandes fortunas

Questionado pelo deputado Ivan Valente (PSOL-RJ) durante a audiência sobre a taxação de grandes fortunas como forma de aumentar a arrecadação, Meirelles disse que o governo já tem uma proposta para a taxação dos fundos exclusivos de aplicações que, segundo ele, são todos de grandes fortunas.

Edição: Luana Lourenço

Fonte Oficial: EBC.

Os textos, informações e opiniões publicados neste espaço são de total responsabilidade do(a) autor(a). Logo, não correspondem, necessariamente, ao ponto de vista do World Câmbio.

Comentários

você pode gostar também

Quer fazer parte de nosso grupo?

Inscreva-se em nossa newsletter!