Meirelles acredita ser viável votação da reforma previdenciária em 6 de dezembro – Jornal do Comércio

O ministro da Fazenda, Henrique Meirelles, disse nesta segunda-feira (27), que o presidente da Câmara dos Deputados, Rodrigo Maia (DEM-RJ), tem razão quando diz que são necessários 308 votos para a aprovação da reforma da Previdência. Meirelles e Maia participaram de  evento da Revista Veja no qual o deputado, um pouco antes, disse que se o ministro não quiser discutir alguns pontos do texto da reforma da Previdência que lhe traga os 308 votos.

Meirelles evitou polemizar com deputado e disse que está disposto a discutir a transição dos servidores públicos da forma mais transparente possível. “O que se discute para servidores é a transição e mais à frente é a unicidade dos sistemas”, disse.

Ao contrário de Maia, que disse achar difícil aprovar o texto da reforma em dois turnos antes do recesso parlamentar do fim do ano, Meirelles disse ser viável a votação da reforma previdenciária no dia 6 de dezembro.

O ministro disse, no entanto, que quem define a pauta de votação da reforma é o presidente da Câmara e não a equipe econômica. Ao ser perguntado se a reforma da Previdência já impactaria a economia em 2018, Meirelles disse que “não é uma questão para 2018 e sim uma perspectiva econômica”. Para ele, se a reforma não for aprovada, o próximo presidente terá que lidar com essa questão no primeiro ano de mandato.

Mas o ministro disse também que não vê empecilho para a reforma ser aprovada no ano que vem caso ela não passe neste ano. Meirelles, embora tenha reiterado que só decidirá se será candidato à Presidência da República no final do primeiro trimestre do ano que vem, disse que sua decisão não estará relacionada à aprovação ou não da reforma da Previdência.

O ministro também disse que o Brasil voltará a ter superávit primário daqui a três anos. “Em três anos voltaremos a ter superávit”, disse.

Fonte Oficial: Jornal do Comércio.

Os textos, informações e opiniões publicados neste espaço são de total responsabilidade do(a) autor(a). Logo, não correspondem, necessariamente, ao ponto de vista do World Câmbio.

Comentários

você pode gostar também

Quer fazer parte de nosso grupo?

Inscreva-se em nossa newsletter!