Coreia do Norte apoia iene; dólar avança após comentários de Kaplan, do Fed – Jornal do Comércio

O dólar não apresentou direção única em relação a outras moedas fortes nesta segunda-feira (27), à medida que os investidores esperam por importantes eventos e indicadores nos Estados Unidos nesta semana. A Coreia do Norte e comentários do presidente da distrital de Dallas do Federal Reserve (Fed, o banco central americano), Robert Kaplan, influenciaram os negócios.

No fim da tarde em Nova Iorque, o dólar caía para 111,10 ienes e o euro recuava para US$ 1,1900, enquanto a libra cedia para US$ 1,3320.

A moeda americana apresentou leve alta ante euro e libra nesta tarde, influenciada por comentários de Robert Kaplan, do Fed de Dallas. Em um ensaio publicado no site da distrital do banco central americano, Kaplan comentou que uma elevação nos juros no “futuro próximo” parece apropriada e que esperar a inflação subir pode criar riscos à política do Fed. Na semana passada, o dólar teve forte recuo ante outras moedas, após a ata da última reunião de política monetária do Fed indicar que os dirigentes da instituição mostraram preocupação quanto à persistente inflação fraca nos EUA.

Com isso, os investidores estarão atentos à inflação medida pelo índice de preços dos gastos com consumo (PCE), a medida preferida do Federal Reserve, a ser divulgada na próxima quinta-feira. No dia anterior, o Departamento do Comércio americano informa a segunda leitura do Produto Interno Bruto (PIB) dos EUA do terceiro trimestre. Na agenda legislativa, a presidente do Fed, Janet Yellen, irá depor no Congresso na quarta-feira, um dia depois da audiência de confirmação de Jerome Powell ao comando do banco central no Comitê Bancário do Senado. Além disso, o plenário do Senado deve votar a proposta de reforma no sistema tributário dos EUA elaborada pelos senadores republicanos na próxima quinta-feira.

Também nesta segunda-feira, a Coreia do Norte voltou ao radar dos investidores. De acordo com a rede de TV japonesa TBS, o governo do Japão monitorou movimentos vindos do território norte-coreano que apontam para novos testes de mísseis por parte do regime de Kim Jong-un. Com isso, a demanda por segurança falou mais alto e o iene ganhou força em relação a outras divisas.

Fonte Oficial: Jornal do Comércio.

Os textos, informações e opiniões publicados neste espaço são de total responsabilidade do(a) autor(a). Logo, não correspondem, necessariamente, ao ponto de vista do World Câmbio.

Comentários

você pode gostar também

Quer fazer parte de nosso grupo?

Inscreva-se em nossa newsletter!