Dólar avança ante rivais com reforma tributária dos EUA no radar – Jornal do Comércio

O dólar avançou em relação a outras moedas fortes nesta terça-feira (28), apoiado pela aprovação do projeto de reforma tributária elaborado pelos senadores republicanos no Comitê Orçamentário do Senado dos Estados Unidos.

No fim da tarde em Nova Iorque, o dólar subia para 111,47 ienes e o euro caía para US$ 1,1845.

Com 12 votos a 11, o Comitê Orçamentário do Senado americano aprovou o plano tributário elaborado pelos senadores republicanos. A proposta, agora, será encaminhada para o plenário do Senado, que deve votar a questão na próxima quinta-feira. Nesse cenário de maior facilidade em torno de uma alteração no sistema de impostos dos EUA, os investidores optaram pelo dólar em relação a outras moedas fortes, como o iene e o euro. O movimento de alta do dólar se deu, ainda, porque dois senadores republicanos importantes para a aprovação – Roy Moore (Tennessee) e Ron Johnson (Wisconsin) -, que já tinham expressado reservas quanto à reforma, se colocaram a favor das mudanças.

Tendo a reforma tributária como pano de fundo, o dólar apagou as perdas de mais cedo, quando reagiu à audiência de confirmação de Jerome Powell à presidência do Federal Reserve (Fed, o banco central americano) no Comitê Bancário do Senado. Durante a audiência, Powell afirmou que, caso a inflação continue fraca nos EUA, o banco central pode avançar mais lentamente no aperto monetário, além de ter dado sinais de que o gradualismo será mantido na alta de juros.

A libra esterlina, no entanto, destoou das demais moedas fortes e passou a subir em relação à divisa americana após rumores de que o Reino Unido e a União Europeia teriam chegado a um acordo sobre a multa para o país deixar o bloco. De acordo com o jornal britânico Telegraph, o valor deve ficar entre 45 bilhões e 55 bilhões de euros. No fim da tarde em Nova York, a libra subia para US$ 1,3363.

Fonte Oficial: Jornal do Comércio.

Os textos, informações e opiniões publicados neste espaço são de total responsabilidade do(a) autor(a). Logo, não correspondem, necessariamente, ao ponto de vista do World Câmbio.

Comentários

você pode gostar também

Quer fazer parte de nosso grupo?

Inscreva-se em nossa newsletter!