Indicadores da indústria gaúcha apontam que recuperação é mais forte – Jornal do Comércio

A recuperação da indústria gaúcha vem apresentando sinais de estar ganhando força a cada mês. Na Sondagem Industrial de outubro, divulgada nesta segunda-feira (27) pela Federação das Indústrias do Rio Grande do Sul (Fiergs), o indicador que mede a produção do setor atingiu 54,8 pontos, maior para o mês desde 2013 (55,7), e aumentou ante o mês anterior (46,5).

Ao mesmo tempo, o emprego ficou estável (50,4 pontos), no melhor resultado para o mês em sete anos. “O crescimento na produção, juntamente com a intenção dos empresários em investir nos próximos meses, sinaliza para a continuidade de um processo de evolução em curso”, diz o presidente da Fiergs, Gilberto Porcello Petry.

Mesmo que a ociosidade na indústria do RS persista, ela se revelou menor na Sondagem de outubro. O grau médio de Utilização da Capacidade Instalada (UCI) subiu dois pontos percentuais (p.p.) entre setembro e outubro e chegou a 68%. Já o indicador que avalia a UCI em relação à usual (44,3 pontos) atingiu o maior valor desde março de 2014. Outro indicador a apontar para uma melhora foi o dos estoques de produtos finais. Com 49,2 pontos, caiu em relação a setembro e continuou próximo ao nível planejado pelas empresas (51,2 pontos).

O cenário mais favorável amplia as expectativas da indústria gaúcha para o futuro. É a primeira vez desde 2013 que, no penúltimo mês do ano, os empresários projetam aumento da demanda (54,4 pontos) para os seis meses seguintes. O índice de exportações (53,3) mostrou que parte deve ser suprida pela demanda externa. Em consequência disso as empresas pretendem aumentar as compras de matérias-primas (52,7 pontos). Já o indicador de emprego previsto (49,3) em novembro, se ainda não projeta expansão, ao menos é o valor mais alto para o mês desde 2012.

A Sondagem Industrial de outubro foi realizada entre 1º e 14 de novembro, com 255 empresas (64 pequenas, 93 médias e 98 grandes). O indicador varia de 0 a 100. Valores acima de 50 pontos indicam expectativas de aumento e valores abaixo de 50, expectativas de queda. Para a intenção de investimentos, quanto maior o índice, maior a propensão a investir.

Fonte Oficial: Jornal do Comércio.

Os textos, informações e opiniões publicados neste espaço são de total responsabilidade do(a) autor(a). Logo, não correspondem, necessariamente, ao ponto de vista do World Câmbio.

Comentários

você pode gostar também

Quer fazer parte de nosso grupo?

Inscreva-se em nossa newsletter!