Confiança da Indústria medida pela FGV sobe 2,9 pontos em novembro ante outubro – Jornal do Comércio

O Índice de Confiança da Indústria (ICI) avançou 2,9 pontos de outubro para novembro, passando de 95,4 para 98,3 pontos, informou nesta quinta-feira (30) a Fundação Getulio Vargas (FGV). O resultado é o maior desde janeiro de 2014 (100,1 pontos). O avanço em novembro é o quinto consecutivo e aconteceu em 13 dos 19 segmentos industriais pesquisados.

A alta do ICI foi impulsionada pela melhora dos dois subíndices que compõem o indicador: o Índice de Expectativas (IE), que teve acréscimo de 4,2 pontos, para 99,4 pontos, e o Índice da Situação Atual (ISA), que avançou 1,7 ponto, para 97,2 pontos. No segundo semestre até novembro, o IE acumula alta de 7,3 pontos e o ISA, avanço de 10,2 pontos.

A maior contribuição para a melhora do IE veio das expectativas com a evolução do total de pessoal ocupado nos três meses seguintes. O indicador subiu 6,6 pontos, para 99,3 pontos – o maior desde dezembro de 2013 (99,8). Houve aumento da proporção de empresas prevendo aumento do quadro de pessoal, de 15,3% para 19,7% do total, e diminuição da proporção das que esperam redução do total de pessoal ocupado, de 15,7% para 12,3% do total.

No ISA, a principal influência de alta foi do quesito que mede os estoques. O porcentual de entrevistados que considera excessivo o nível de estocagem caiu de 11,3% para 8,7% do total. Já a parcela das que o considera insuficiente ficou estável, ao passar de 4,1% para 4,0% do total.

A FGV também informou que em novembro ante outubro o Nível de Utilização da Capacidade Instalada (Nuci) recuou 0,1 ponto porcentual, para 74,2%.

Fonte Oficial: Jornal do Comércio.

Os textos, informações e opiniões publicados neste espaço são de total responsabilidade do(a) autor(a). Logo, não correspondem, necessariamente, ao ponto de vista do World Câmbio.

Comentários

você pode gostar também

Quer fazer parte de nosso grupo?

Inscreva-se em nossa newsletter!