Dólar termina novembro perto da estabilidade, após sessão de alta acentuada – Jornal do Comércio

A sessão desta quinta-feira (30), foi marcada pela alta acentuada do dólar. Mesmo depois de encerrada a disputa pela formação de preço da Ptax de novembro, que fechou o mês cotada a R$ 3,2616 (+1,49%), as pressões sobre a moeda americana não cessaram. Na verdade, até aumentaram. Por volta das 15h30, o dólar à vista atingiu o patamar mais elevado intraday, a R$ 3,2890 (+1,59%), enquanto o dólar negociado para janeiro de 2018 – agora, o contrato mais líquido do pregão – alcançou R$ 3,2980 (+1,26%).

Esse repique da moeda veio depois que o PSDB declarou que só vai se pronunciar formalmente sobre a reforma da Previdência na próxima quarta-feira. “A sensação é de que a ficha dos investidores sobre a menor probabilidade de aprovação da reforma da Previdência só caiu nesta tarde”, afirma Bruno Foresti, gerente de câmbio da Ourinvest. “Mesmo se a primeira votação ocorrer em dezembro, a pauta só será apreciada pela segunda Casa em fevereiro, depois do recesso parlamentar”, diz. Por isso, os investidores decidiram tomar posições mais defensivas, vendendo ações e comprando dólares. A demanda pela divisa foi tão grande que o contrato para janeiro chegou a entrar em leilão por forte oscilação.

Mas, depois de terem atingido as máximas, a divisa desacelerou o passo e o dólar à vista fechou com alta de 1,00%, a R$ 3,2701. Esta foi a maior variação porcentual desde o dia 3 de novembro. No entanto, no acumulado do mês, a moeda americana fechou praticamente estável, com queda de 0,05%. O giro da sessão de quarta-feira foi de US$ 2,213 bilhões.

Segundo um operador que preferiu não se identificar, o imbróglio político em torno da questão da Previdência também tem tirado o apetite de estrangeiros pelo mercado brasileiro. “A saída de dólares tem aumentado nos últimos dias, na medida em que a votação da PEC da Previdência se torna cada vez mais remota”, diz.

Fonte Oficial: Jornal do Comércio.

Os textos, informações e opiniões publicados neste espaço são de total responsabilidade do(a) autor(a). Logo, não correspondem, necessariamente, ao ponto de vista do World Câmbio.

Comentários

você pode gostar também

Quer fazer parte de nosso grupo?

Inscreva-se em nossa newsletter!