Redução de ICMS de combustível de aviação é rejeitada no Senado – Jornal do Comércio

Por 43 votos a 17, os senadores rejeitaram nesta quarta-feira (29), o projeto que pretendia limitar em até 12% a alíquota do Imposto sobre Circulação de Mercadorias e Serviços (ICMS) cobrado sobre a venda de combustível de aviação. Atualmente, o teto é fixado em 25%. Considerada polêmica, a matéria estava pronta para votação desde o ano passado e beneficiaria principalmente os Estados Norte e Nordeste do País.

O relator, Jorge Viana (PT-AC), argumentou que a aprovação do projeto aumentaria a oferta de voos no País e, com isso, reduziria o preço das passagens. “Os Estados terão um ganho na arrecadação do ICMS, porque nós vamos trazer de volta ao brasileiro o poder de pagar uma passagem aérea. Hoje é quase proibitivo o preço que nós temos”, defendeu Viana.

Para senadores de São Paulo, que cobra o porcentual máximo permitido, a limitação na cobrança do ICMS sobre este tipo de combustível representaria uma redução de R$ 295 milhões por ano na arrecadação do tributo. O senador José Serra (PSDB-SP) afirmou que a matéria, se aprovada, atenderia ao lobby das companhias aéreas e não traria benefícios para os consumidores. “Pelo amor de Deus, compreendamos isso. É um espaço maior que as companhias dispõem, sendo de 25% para 12% eles vão abastecer mais. O Senado vai meter o bico em alíquota de ICMS, coisa que eu nunca vi antes”, disse durante a fase de discussão.

A senadora Simone Tebet (PMDB-MS) avaliou que seria uma “ilusão” pensar que o projeto beneficiaria os passageiros. Ela lembrou a resolução da Agência de Aviação Civil (Anac) editada este ano que pôs fim à gratuidade de bagagens sob argumentação de que isso reduziria os preços das passagens aéreas. “Há 4 meses essa resolução está em vigência, mas houve aumento de quase 17% no preço das passagens”, disse. “O que afinal as companhias de São Paulo querem? O slot de São Paulo para abastecer a 12%.”

Fonte Oficial: Jornal do Comércio.

Os textos, informações e opiniões publicados neste espaço são de total responsabilidade do(a) autor(a). Logo, não correspondem, necessariamente, ao ponto de vista do World Câmbio.

Comentários

você pode gostar também

Quer fazer parte de nosso grupo?

Inscreva-se em nossa newsletter!