Bolsas de Nova Iorque caem com abalo provocado por Flynn, mas reforma reduz estresse – Jornal do Comércio

Os mercados acionários americanos fecharam em baixa nesta sexta-feira (1), atingidos pela turbulência política envolvendo o presidente dos Estados Unidos, Donald Trump. Os investidores, no entanto, também continuaram atentos ao desenvolvimento em torno da votação da reforma no sistema tributário americano no plenário do Senado.

O índice Dow Jones fechou em queda de 0,17%, aos 24.231,59 pontos; o S&P 500 perdeu 0,20%, aos 2.642,22 pontos; e o Nasdaq recuou 0,38%, aos 6.847,59 pontos. Na semana, o Dow Jones subiu 2,91% e o S&P 500 avançou 1,64%; o Nasdaq, por sua vez, destoou dos demais e caiu 0,67%.

Os principais índices acionários americanos ficaram perto da estabilidade logo após o sino de abertura, atentos a todas as informações que vinham de Washington em relação ao apoio de senadores republicanos à votação da reforma tributária no Senado A perspectiva otimista fez com que as bolsas esboçassem leve alta, que não perdurou devido ao agravamento da crise sobre a suposta interferência da Rússia na eleição presidencial americana de 2016.

De acordo com a rede de TV americana ABC, o ex-conselheiro de Segurança Nacional da Casa Branca Michael Flynn deve dizer que Trump pediu a ele que entrasse em contato com autoridades russas À medida que a reportagem da ABC se espalhou pelas redes sociais, o diretor de soluções de negociação de fundos de índice (ETFs, na sigla em inglês) na corretora WallachBeth Capital, Mohit Bajaj, notou uma recuperação nos volumes de negociação, particularmente nos Treasuries.

“As pessoas estão apenas tentando se proteger agora”, afirmou à medida que a venda de ações acelerava. Os índices captaram a pressão vendedora que se instaurou nos mercados acionários e o Dow Jones chegou a perder 350 pontos, enquanto o índice Nasdaq chegou a cair 2%. Para o diretor-gerente da Jefferies, Brad Bechtel, o aumento da incerteza política “criará volatilidade com certeza e isso aumentará a tensão nas próximas semanas”.

Ao longo da tarde, no entanto, o nervosismo baixou e as perdas das bolsas de Nova York diminuíram. O gatilho para isso teria sido, novamente, a reforma tributária, que dominou o sentimento dos investidores na semana. O líder republicano no Senado, Mitch McConnell, afirmou, após uma reunião com os senadores da sigla, que tinha a quantidade necessária de votos para que o texto passasse. Nesse cenário, o desespero perdeu força e os índices encerraram o pregão em queda, mas com menor variação do que a vista durante a divulgação das notícias envolvendo Flynn.

Fonte Oficial: Jornal do Comércio.

Os textos, informações e opiniões publicados neste espaço são de total responsabilidade do(a) autor(a). Logo, não correspondem, necessariamente, ao ponto de vista do World Câmbio.

Comentários

você pode gostar também

Quer fazer parte de nosso grupo?

Inscreva-se em nossa newsletter!