CCEE estima crescimento de 0,5% no consumo de energia em novembro – Jornal do Comércio

Dados preliminares de medição coletados entre os dias 1º e 28 de novembro apontam para um aumento de 0,5% no consumo de energia elétrica no País na comparação com o mesmo período de 2016, para 60.653 MW médios. Já a geração cresceu 0,2% no mesmo período, para 62.789 MW médios. As informações constam em boletim semanal publicado pela Câmara de Comercialização de Energia Elétrica (CCEE).

Apesar da expansão do consumo, o mercado regulado, no qual os consumidores são atendidos pelas distribuidoras, segue registrando retração, influenciada pela migração de consumidores para o mercado livre. Em novembro, até o dia 28, a queda foi de 2,6%. Sem o efeito da migração, o chamado mercado cativo teria elevação de 1% no consumo.

O Ambiente de Contratação Livre (ACL), no qual as empresas compram energia diretamente dos fornecedores, registrou, por sua vez, um aumento de 8,7%, montante que leva em conta a inclusão de novos consumidores no segmento. Desconsiderando a migração, o consumo apresenta diminuição de 0,2%.

Dentre os ramos da indústria avaliados pela CCEE, incluindo dados de autoprodutores, varejistas, consumidores livres e especiais, os setores de metalurgia e produtos de metais foi o que mais cresceu: 4,6%.

Os segmentos de veículos (+3,9%) e saneamento (+3,4%) também registram expansão no consumo, mesmo sem o efeito da migração na análise. As maiores baixas foram observadas na indústria de madeira e papel e celulose (-6,8%), minerais não-metálicos (-6,4%) e transporte (-3,9%).

Na geração, a CCEE destacou o crescimento na produção de usinas térmicas (+21,7%) e de usinas eólicas (+13,9%). Já a produção da fonte hidráulica, incluindo as Pequenas Centrais Hidrelétricas, apresentou queda de 8,3% ao longo de novembro, refletindo o cenário hidrológico desfavorável.

A CCEE estima que as usinas hidrelétricas integrantes do Mecanismo de Realocação de Energia (MRE) gerem, em novembro, o equivalente a 66,2% de suas garantias físicas, ou 39.197 MW médios em energia elétrica. Para fins de repactuação do risco hidrológico, o porcentual é de 70,5%.

Fonte Oficial: Jornal do Comércio.

Os textos, informações e opiniões publicados neste espaço são de total responsabilidade do(a) autor(a). Logo, não correspondem, necessariamente, ao ponto de vista do World Câmbio.

Comentários

você pode gostar também

Quer fazer parte de nosso grupo?

Inscreva-se em nossa newsletter!