IPC-S fica em 0,36% em novembro ante 0,33% em outubro, aponta FGV – Jornal do Comércio

A inflação medida pelo Índice de Preços ao Consumidor – Semanal (IPC-S) acelerou para 0,36% em novembro ante 0,33% em outubro, informou nesta sexta-feira, dia 1º, a Fundação Getulio Vargas (FGV). Na terceira quadrissemana de setembro, o IPC-S havia ficado em 0,32%. O indicador acumula altas de 3,01% no ano e de 3,35% em 12 meses.

Das oito classes de despesas analisadas, seis registraram acréscimo em suas taxas de variação de preços na passagem da terceira para a quarta quadrissemana de novembro: Educação, Leitura e Recreação (0,01% para 0,33%), Saúde e Cuidados Pessoais (0,31% para 0,39%), Vestuário (-0,27% para 0,01%), Comunicação (0,23% para 0,40%), Despesas Diversas (0,01% para 0,08%) e Transportes (0,79% para 0,80%).

No sentido contrário, registraram decréscimo, segundo a FGV, os grupos Habitação (0,80% para 0,77%) e Alimentação.

Grupo Educação, Leitura e Recreação é destaque na alta do índice 

O grupo Educação, Leitura e Recreação, que avançou de 0,01% na terceira quadrissemana de novembro para 0,33% na quarta leitura do mês, foi o que mais contribuiu para a elevação do Índice de Preços ao Consumidor – Semanal (IPC-S) divulgado nesta sexta-feira.

Nesta classe de despesas, o destaque foi o item passagem aérea, cuja taxa passou de -4,93% para 3,88%. O indicador geral subiu 0,04 ponto porcentual, de 0,32% para 0,36% entre os dois períodos.

Dentre as outras cinco classes de despesas que registraram acréscimo em suas taxas de variação, a FGV destacou o comportamento dos itens artigos de higiene e cuidado pessoal (-0,60% para -0,31%), em Saúde e Cuidados Pessoais; roupas (-0,40% para -0,01%), em Vestuário; pacotes de telefonia fixa e internet (1,09% para 1,80%), em Comunicação; alimentos para animais domésticos (-1,20% para -0,61%), em Despesas Diversas, e gasolina (2,51% para 3,17%), em Transportes.

Isoladamente, os itens com as maiores influências de alta na mesma base de comparação foram tarifa de eletricidade residencial (3,94% para 3,98%), gasolina (2,51% para 3,17%), plano e seguro de saúde (que repetiu a taxa de variação de 0,95% da terceira quadrissemana), condomínio residencial (1,22% para 1,34%) e etanol (2,66% para 3,31%).

Já os cinco itens com as maiores influências de baixa foram tomate (-13,41% para -14,05%), tarifa de telefone residencial (-1,14% para -1,87%), banana-prata (-8,43% para -8,64%), tarifa de ônibus urbano (0,12% para -0,33%) e ovos (-4,86% para -4,64%).

Fonte Oficial: Jornal do Comércio.

Os textos, informações e opiniões publicados neste espaço são de total responsabilidade do(a) autor(a). Logo, não correspondem, necessariamente, ao ponto de vista do World Câmbio.

Comentários

você pode gostar também

Quer fazer parte de nosso grupo?

Inscreva-se em nossa newsletter!