Dólar mais fraco no exterior guia negócios locais – Jornal do Comércio

O dólar renovou mínimas mais cedo, pressionado pela queda do Dollar Index no exterior, após iniciar o dia com viés de alta. Às 9h45 desta terça-feira, 5, o Dollar Index recuava 0,09%. Lá fora, o compasso é de espera pela votação, no Comitê Bancário do Senado, da nomeação de Jerome Powell para o comando do Federal Reserve, a partir das 13h.

Caso o nome seja aprovado, haverá ainda votação pelo pleno do Senado, sem data prevista. Está no radar também um almoço do presidente Donald Trump com senadores republicanos, no qual a reforma tributária estará em pauta. Deputados e senadores norte-americanos precisam chegar a um consenso em torno de um projeto único da reforma tributária. A intenção dos republicanos é chegar a um acordo em breve para votar e enviar o novo projeto ao presidente Donald Trump até o Natal.

Os agentes de câmbio, monitoram ainda a queda dos juros futuros, neste primeiro dia de reunião do Copom, que poderá decidir nesta quarta-feira, 6, por novo corte da taxa Selic. A produção industrial mostrou sinal positivo sobre a recuperação da economia do País em outubro. O dólar fraco favorece o alívio nas taxas futuras. As apostas majoritárias para o Copom, amanhã, são de redução de 0,50 pp, para 7% ao ano – o que seria o menor patamar histórico da taxa básica de juros do País.

A produção industrial brasileira subiu 0,2% em outubro ante setembro, na série com ajuste sazonal, dentro das expectativas dos analistas ouvidos pelo Projeções Broadcast, que esperavam desde uma queda de 0,30% a uma expansão de 0,80%, com mediana positiva de 0,20%.

Em relação a outubro de 2016, a produção subiu 5,30%. Nessa comparação, sem ajuste, as estimativas variavam de um aumento de 4,20% a 7,00%, com mediana positiva de 5,30%. No ano, a indústria teve alta de 1,9%0. No acumulado em 12 meses, a produção da indústria acumulou avanço de 1,50%.

Às 9h49 desta terça, o dólar à vista caía 0,14%, aos R$ 3,2404. O dólar futuro de janeiro de 2018 caía 0,12%, aos R$ 3,2485. Na renda fixa, o DI para janeiro de 2019 seguia em 7,04%, de 7,06% no ajuste de segunda-feira. O DI para janeiro de 2020 caía a 8,29%, de 8,32% no ajuste da véspera. E o DI para janeiro de 2021 recuava a 9,20%, de 9,23% no ajuste anterior.

Fonte Oficial: Jornal do Comércio.

Os textos, informações e opiniões publicados neste espaço são de total responsabilidade do(a) autor(a). Logo, não correspondem, necessariamente, ao ponto de vista do World Câmbio.

Comentários

você pode gostar também

Quer fazer parte de nosso grupo?

Inscreva-se em nossa newsletter!