Mercado de cartões acelera e cresce 9% no 3º trimestre ante um ano – Jornal do Comércio

O mercado de cartões movimentou R$ 308 bilhões no terceiro trimestre, cifra 9% maior que a vista no mesmo intervalo do ano passado, de acordo com a Associação Brasileira das Empresas de Cartões de Crédito e Serviços (Abecs). Trata-se do maior crescimento trimestral desde o segundo trimestre de 2015, quando o setor apresentou expansão de 9,4%, também na comparação anual.

Do total das compras com cartões no terceiro trimestre, R$ 189 bilhões corresponderam à modalidade crédito, com alta de 7,6% ante um ano. A taxa de crescimento apresentada, de acordo com a Abecs, é quase o dobro da verificada um ano antes, de 4%. Já a cifra movimentada pelos cartões de débito seguiu crescendo num ritmo maior. Foram registrados R$ 120 bilhões de julho a setembro, conforme a entidade, incremento de 11% ante um ano.

Somadas, as duas modalidades, crédito e débito, totalizaram 3,4 bilhões de transações no terceiro trimestre, aumento de 8,5% em relação ao mesmo período de 2016. A expansão foi de 5,1% e 11,5%, respectivamente. Os pagamentos por meio dos dois tipos de cartão representam 29% do consumo das famílias brasileiras.

A utilização de cartões para o pagamento de compras segue mais forte na Região Sudeste, que detém 60,5% de todo o volume movimentado. O crescimento mais expressivo no período veio da região Sul, com alta de 10,5%. Em seguida, estão Nordeste (8,3%), Norte (7,9%), Sudeste (7,7%) e Centro-Oeste (7,1%). A Abecs destaca, em nota à imprensa, o uso do cartão de débito no Nordeste, que subiu 14,6%, enquanto o maior crescimento do cartão de crédito ficou também no Sul, com 8,6%.

No caso do exterior, a utilização do cartão de crédito por brasileiros também ajudou a impulsionar o crescimento do setor, somando R$ 7,5 bilhões, alta de 26,7% no terceiro trimestre em relação ao mesmo período do ano passado. Já os gastos de estrangeiros no Brasil com cartões recuaram 18,6%, chegando a R$ 3 bilhões, na mesma base de comparação.

No crédito rotativo, o juro médio cobrado na modalidade caiu 57% desde a implementação das novas regras, em abril do ano passado, que limitam o uso da linha em até 30 dias. Com isso, a taxa passou de 466,4% ao ano (15,5% ao mês) em março para 201,1% ao ano (9,6% ao mês) em outubro.

Segundo dados do Banco Central, desde a implantação da regra, de março a outubro, o crédito movimentado pelo rotativo caiu de R$ 16,8 bilhões para R$ 13,3 bilhões, assim como o valor das faturas atrasadas há mais de 90 dias, de R$ 13,4 bilhões para R$ 12,7 bilhões. Por conta disso, o índice de inadimplência do cartão tem caído todos os meses, chegando a 6,8% em outubro, menor índice desde março de 2015.

Já o grupo de pessoas que costumam entrar no rotativo – que representa 5% do total de usuários de cartão – tem trocado essa linha de crédito pela modalidade de parcelamento, segundo a Abecs.

Fonte Oficial: Jornal do Comércio.

Os textos, informações e opiniões publicados neste espaço são de total responsabilidade do(a) autor(a). Logo, não correspondem, necessariamente, ao ponto de vista do World Câmbio.

Comentários

você pode gostar também

Quer fazer parte de nosso grupo?

Inscreva-se em nossa newsletter!