Abinee estima crescimento de 5% para setor eletroeletrônico em 2017 – Jornal do Comércio

A menos de um mês do encerramento do ano, a indústria eletroeletrônica prevê crescimento do seu faturamento em 5% em 2017 para R$ 136 bilhões. Em 2016, o setor faturou R$ 129,4 bilhões. Os dados foram divulgados nesta sexta-feira (8) pela Associação Brasileira da Indústria Elétrica e Eletrônica (Abinee), no Clube Monte Líbano, em São Paulo, onde a associação realiza seu Almoço Anual, em 2017.

O evento conta com a presença do presidente da República, Michel Temer, acompanhado dos ministros Gilberto Kassab (Ciência e Tecnologia), Marcos Pereira (Indústria), Mendonça Filho (Educação) e Antonio Imbassahy (Secretaria de Governo da Presidência da República).

Para a produção industrial, a Abinee estima aumento de 5% na comparação com 2016. O mesmo porcentual de 5% é esperado para os investimentos, que devem fechar o ano com R$ 2,5 bilhões ante os R$ 2,38 bilhões investidos no ano passado. A utilização da capacidade instalada do setor passou de 71% em 2016 para 77% neste ano.

“Nossos indicadores demonstram que estamos em processo de recuperação”, disse o presidente executivo da Abinee, Humberto Barbato. Segundo ele, o desempenho é reflexo de um ambiente macroeconômico de maior previsibilidade, que devolveu a confiança dos empresários.

Já para a balança comercial de 2017 a entidade projeta um déficit de US$ 24,1 bilhões, valor 20,5% superior ao déficit de US$ 20 bilhões registrado no ano passado. O déficit resulta de exportações, em valores, de US$ 5,8 bilhões, com crescimento de 3% sobre o ano passado, e importações de US$ 29, 9 bilhões em 2017 ante US$ 25,5 bilhões em 2016.

Ainda de acordo com a Abinee, o número de empregos do setor este ano subiu para 237,2 mil, de 232,8 mil no final de 2016, um aumento de 4,4 mil postos de trabalho. “Aos poucos a economia vai se reativando e o nosso setor parece um dos primeiros a dar sinais claros de retomada”, afirma o presidente Conselho da Abinee, Irineu Govêa.

Apesar do crescimento no número de empregados em 2017, o setor ainda não recuperou as perdas recentes nos níveis de emprego. Em dezembro de 2014, por exemplo, a indústria elétrica e eletrônica empregava 294 mil trabalhadores. “Ainda temos um caminho árduo a ser percorrido para atingir os níveis de volume de negócios, produção, emprego e faturamento apresentados em tempos mais prósperos”, analisa Barbato.

As empresas do setor eletroeletrônico projetam crescimento de 7% no faturamento em 2018 em relação a 2017. Esta projeção é compatível com a nova estimativa do PIB prevista para o próximo ano, de cerca de 2,5%, afirmou Barbato.

O setor tem previsto para investimentos no ano que vem R$ 2,76 bilhões, valor 10% superior aos investimentos feitos no ano passado. A estimativa da Abinee é de que o nível de emprego aumente para 241 mil trabalhadores em 2018, um incremento de 3,8 mil pessoas.

A utilização da capacidade instalada do setor deve passar de 77% em 2017 para 80% no ano que vem. As exportações e as importações também devem crescer em 2018. As vendas externas têm previsão de aumento de 3%, uma vez que a taxa de câmbio deverá permanecer estável, o que não estimula as exportações. Já as importações devem subir 5%.

Fonte Oficial: Jornal do Comércio.

Os textos, informações e opiniões publicados neste espaço são de total responsabilidade do(a) autor(a). Logo, não correspondem, necessariamente, ao ponto de vista do World Câmbio.

Comentários

você pode gostar também

Quer fazer parte de nosso grupo?

Inscreva-se em nossa newsletter!