ANP divulga pré-edital da 15ª Rodada de Licitações de Blocos Exploratórios – Jornal do Comércio

A Agência Nacional do Petróleo, Gás Natural e Biocombustíveis (ANP) divulgou nesta quinta-feira (7) o pré-edital e a minuta do contrato de concessão da 15ª Rodada de Licitações de Blocos Exploratórios, envolvendo Bacias Marítimas e Terrestres.

O pré-edital e a minuta do contrato de concessão passarão por processo de consulta e audiência públicas para o recebimento de comentários e sugestões. O período de consulta pública termina no próximo dia 18, e a audiência pública será no dia 21 também deste mês. Os documentos estão disponíveis no site da ANP na internet.

Segundo a ANP, a consulta e a audiência têm como objetivos “obter subsídios e informações sobre o pré-edital e a minuta do contrato de concessão, propiciar aos agentes econômicos e aos demais interessados a possibilidade de encaminhamento de comentários e sugestões, identificar, da forma mais ampla possível, todos os aspectos relevantes à matéria objeto da audiência pública, além de dar publicidade, transparência e legitimidade às ações da agência”.

O pré-edital traz as áreas em oferta, as regras e procedimentos para participação e o cronograma preliminar da rodada. A minuta do contrato de concessão é parte do pré-edital. A 15ª Rodada de Licitações de Blocos Exploratórios em Bacias Marítimas ofertará 49 blocos, distribuídos em sete bacias sedimentares  – Ceará, Potiguar, Sergipe-Alagoas, Campos e Santos – com áreas de elevado potencial e de novas fronteiras exploratórias que, segundo a ANP, “se apresentam como oportunidades para grandes e médias empresas”.

Nas bacias terrestres estarão em oferta 21 blocos, distribuídos em duas bacias sedimentares (Parnaíba e do Paraná), com áreas de novas fronteiras exploratórias “que se apresentam como oportunidades para grandes, médias e pequenas empresas”.

Ainda segundo a agência, os blocos oferecidos foram selecionados em bacias de elevado potencial e de novas fronteiras exploratórias “com os objetivos de ampliar as reservas e a produção brasileira de petróleo e gás natural, ampliar o conhecimento das bacias sedimentares, descentralizar o investimento exploratório no país, desenvolver a indústria petrolífera e fixar empresas nacionais e estrangeiras no país, dando continuidade à demanda por bens e serviços locais, à geração de empregos e à distribuição de renda”.

Fonte Oficial: Jornal do Comércio.

Os textos, informações e opiniões publicados neste espaço são de total responsabilidade do(a) autor(a). Logo, não correspondem, necessariamente, ao ponto de vista do World Câmbio.

Comentários

você pode gostar também

Quer fazer parte de nosso grupo?

Inscreva-se em nossa newsletter!