Endividamento fecha novembro em 68,8% – Jornal do Comércio

O quadro de endividamento das famílias gaúchas no mês de novembro não sofreu grandes alterações, mas a inadimplência segue em trajetória ascendente. De acordo com a Pesquisa de Endividamento e Inadimplência do Consumidor (Peic), divulgada nesta quinta-feira pela Fecomércio-RS, o indicador ficou em 68,8%, leve alta em relação ao mesmo período do ano passado (68,7%) e queda na comparação com outubro último (75,3%).

“Mesmo que a inadimplência e o percentual de famílias endividadas estejam em patamares acima do verificado em períodos anteriores, o cenário de inflação baixa e juros reduzidos associado com a continuidade da recuperação do mercado de trabalho tendem a promover uma melhora no quadro de endividamento e dívidas em atraso nos próximos meses”, acredita o presidente da Fecomércio-RS, Luiz Carlos Bohn.

A Peic de novembro revela estabilidade no indicador que avalia a parcela da renda comprometida com dívidas. No mês, foi de 33,1% na média em 12 meses, e o tempo de comprometimento da dívida, também no período de 12 meses, passou para 8,1 meses. O cartão de crédito segue tendo o maior peso no endividamento dos gaúchos (76,5%), seguido por carnês (36,2%), financiamento de veículos (15,1%) e crédito pessoal (12,8%).

O índice de gaúchos sem condições de honrar suas dívidas vencidas no prazo de 30 dias apresentou queda, saindo de 15,5% em novembro/2016 para 10,3% em novembro/2017. Essa foi a terceira queda consecutiva na comparação interanual. No entanto, a volta do indicador a níveis mais baixos vai depender da recuperação do mercado de trabalho.

A Boa Vista SCPC informou nesta quinta-feira que a inadimplência do consumidor caiu 2,4% em novembro na comparação com outubro. Trata-se de uma combinação favorável à tomada de crédito e consumo, umas das variáveis pelas quais especialistas acreditam que tem se dado a retomada em curso do crescimento da economia bem como a manutenção em escala crescente do Produto Interno Bruto (PIB) ao longo de 2018.

Soma-se a isso a queda da inflação, que em 12 meses encontra-se em 2,70%, patamar significativamente abaixo do centro da meta inflacionária, de 4,5%, prevista para este e o próximo ano, e a redução da taxa de desemprego, que vem caindo gradualmente e encontra-se em 12,4% da População Economicamente Ativa (PEA) medida pelo IBGE.

Nas leituras de mais longo prazo, os dados referentes à inadimplência são ainda mais estimulantes. De acordo com a Boa Vista SCPC, no acumulado de 12 meses o total de atrasos nos pagamentos mostra uma retração de 3,5% e, quando se compara novembro deste ano com o mesmo mês do ano passado, o recuo no total de contas atrasadas chega a 11,2%. De janeiro a novembro, a inadimplência caiu 3,3% em relação ao mesmo período do ano passado.

Chama a atenção no levantamento da Boa Vista SCPC a distribuição da queda da inadimplência pelas regiões do País. Em novembro, os atrasos no Norte do Brasil recuaram 6,8% em relação a outubro.

Fonte Oficial: Jornal do Comércio.

Os textos, informações e opiniões publicados neste espaço são de total responsabilidade do(a) autor(a). Logo, não correspondem, necessariamente, ao ponto de vista do World Câmbio.

Comentários

você pode gostar também

Quer fazer parte de nosso grupo?

Inscreva-se em nossa newsletter!