Dólar fecha com alta moderada, à espera de novos avanços sobre Previdência – Jornal do Comércio

Depois de renovar sucessivas máximas durante a tarde, o dólar perdeu força perto do horário do fechamento nesta segunda-feira (11), oscilando ora no campo positivo, ora no negativo. O motivo foi a falta de avanço no front da reforma da Previdência, que levou ao arrefecimento do avanço da moeda e permitiu que a divisa encerrasse a sessão com alta moderada.

O dólar à vista fechou em alta de 012%, a R$ 3,2999. Na máxima, atingiu R$ 3,3034 (+0,22%) e, na mínima, R$ 3,2735 (-0,71%). O giro foi de US$ 699,570 milhões.

Durante a manhã desta segunda-feira, havia mais otimismo em relação à aprovação da pauta, e o dólar oscilava no campo negativo. Mas, por volta das 12h, o mercado azedou depois das declarações de Rodrigo Maia, presidente da Câmara, de que será muito difícil votar a reforma na próxima semana. Já por volta das 14h, o dólar inverteu a tendência, passando a operar no terreno positivo e assim ficou até o fechamento.

Para Cleber Alessie Machado Neto, operador da H.Commcor, o que se tem visto é “um jogo político ao vivo”, já que a todo instante os parlamentares mudam o tom sobre a votação da Previdência. “Eles não são ingênuos, sabem que, se disserem que a reforma está garantida, perdem poder de barganha. Isso faz parte da estratégia”, acrescenta.

Em tempo: O bitcoin estreou no mercado futuro da Chicago Board Options Exchange (Cboe), no domingo à noite. O contrato para janeiro era negociado a US$ 18.350,00 às 18h no horário local, enquanto a moeda virtual era cotada a US$ 16.977,79.

Fonte Oficial: Jornal do Comércio.

Os textos, informações e opiniões publicados neste espaço são de total responsabilidade do(a) autor(a). Logo, não correspondem, necessariamente, ao ponto de vista do World Câmbio.

Comentários

você pode gostar também

Quer fazer parte de nosso grupo?

Inscreva-se em nossa newsletter!