Mercado financeiro projeta inflação abaixo de 3% este ano – Jornal do Comércio

Sob influência dos dados mais recentes de inflação e da decisão do Banco Central sobre juros, na semana passada, os economistas do mercado financeiro reduziram suas projeções para o IPCA para este ano. O Relatório de Mercado Focus divulgado na manhã desta segunda-feira (11) pelo Banco Central, mostra que a mediana para o IPCA em 2017 foi de 3,03% para 2,88%. Há um mês, estava em 3,09%. Já a projeção para o índice de 2018 permaneceu em 4,02%, ante 4,04% de quatro semanas atrás.

Na prática, as projeções de mercado agora divulgadas no Focus indicam que a expectativa é de que a inflação fique levemente abaixo do piso da meta, de 3,0%, em 2017. O centro da meta para este ano e o próximo é de 4,5%, com margem de tolerância de 1,5 ponto porcentual (inflação de 3,0% a 6,0%).

Na quarta-feira passada, o Comitê de Política Monetária (Copom) do BC atualizou suas projeções para o IPCA: 2,9% em 2017, 4,2% em 2018, e 4,2% em 2019. Na ocasião, o BC também reduziu a Selic em 0,50 ponto porcentual, de 7,50% para 7,00% ao ano.

Na sexta-feira, dia 8, foi a vez de o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) anunciar que a inflação de novembro ficou em 0,28%, abaixo do que esperava o mercado. Em 2017, o IPCA acumula taxa de 2,50%.

Entre as instituições que mais se aproximam do resultado efetivo do IPCA no médio prazo, denominadas Top 5, a mediana das projeções para 2017 no Focus foi de 3,09% para 2,78%. Portanto, estas casas também preveem que o BC não cumprirá a meta, já que a inflação ficará abaixo do piso de 3,0%. Para 2018, a estimativa do Top 5 foi de 4,00% para 4,04%. Quatro semanas atrás, as expectativas eram de 3,03% e 3,95%, respectivamente.

Já a inflação suavizada para os próximos 12 meses foi de 3,96% para 3,91% de uma semana para outra – há um mês, estava em 4,04%.

Entre os índices mensais mais próximos, a estimativa para dezembro de 2017 foi de 0,42% para 0,37%. Um mês antes, estava em 0,45%. No caso de janeiro, a projeção foi de 0,50% para 0,48%, ante 0,50% de quatro semanas antes.

O Relatório de Mercado Focus indicou, ainda, manutenção na projeção para os preços administrados neste ano. A mediana das previsões do mercado financeiro para o indicador em 2017 seguiu com alta de 7,85%. Para 2018, a mediana passou de 4,88% para 4,90%. Há um mês, o mercado projetava aumento de 7,50% para os preços administrados em 2017 e elevação de 4,80% em 2018.

As projeções atuais do BC para os preços administrados indicam elevações de 7,9% em 2017, 5,1% em 2018 e 4,3% em 2019. Estes porcentuais serão atualizados na ata do encontro do Comitê de Política Monetária (Copom), que sai nesta terça-feira, dia 12.

Alta do PIB de 2017 sobe de 0,89% para 0,91%

O mercado financeiro elevou sua projeção para o Produto Interno Bruto (PIB) em 2017 e 2018. A expectativa de alta para o PIB deste ano passou de 0,89% para 0,91% no Relatório de Mercado Focus divulgado nesta segunda-feira (11). Há um mês, a perspectiva estava em 0,73%.

Para 2018, o mercado elevou a previsão de alta do PIB de 2,60% para 2,62%. Quatro semanas atrás, a expectativa era de 2,50%.

Em 1º de dezembro, o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) informou que o PIB cresceu 0,1% no terceiro trimestre, em relação ao segundo trimestre. Apesar de modesto, o número foi bem recebido pelo mercado. Um dos motivos foi o crescimento do investimento produtivo, de 1,6% no trimestre, na primeira alta após 15 quedas consecutivas.

No Focus agora divulgado, a projeção para a produção industrial deste ano seguiu com avanço de 2,00%. Há um mês, estava em 1,96%. No caso de 2018, a estimativa de crescimento da produção industrial permaneceu em 2,90%, ante 2,73% quatro semanas antes.

Já a projeção para o indicador que mede a relação entre a dívida líquida do setor público e o PIB para 2017 foi de 52,10% para 52,15%. Há um mês, estava em 52,30%. Para 2018, a expectativa no boletim Focus foi de 55,55% para 55,70%, ante 55,81% de um mês atrás.

Fonte Oficial: Jornal do Comércio.

Os textos, informações e opiniões publicados neste espaço são de total responsabilidade do(a) autor(a). Logo, não correspondem, necessariamente, ao ponto de vista do World Câmbio.

Comentários

você pode gostar também

Quer fazer parte de nosso grupo?

Inscreva-se em nossa newsletter!