Taxas futuras de juros recuam com cronograma para reforma da Previdência – Jornal do Comércio

Os juros futuros ajustam-se em baixa na manhã desta segunda-feira (11) na esteira do dólar, em meio à negociação do cronograma da reforma da Previdência. No sábado (9), ficou acertado em Brasília que o início da discussão da reforma da Previdência na Câmara será na quinta-feira (14) e a possível votação na próxima semana.

No domingo, o presidente Michel Temer disse que “talvez seja possível” votar a proposta ainda em 2017. “Se não for neste ano, será no início do ano que vem.”

Além disso, o governo conseguiu que mais um partido fechasse questão para votar em bloco a favor da matéria, o PPS, depois do PMDB e do PTB. O PPS tem nove deputados e os outros dois partidos somam 76. O governo precisa de 308 votos.

Temer disse acreditar que partidos do Centrão vão obrigar suas bancadas no Congresso a votar a favor da reforma. “Falei com os presidentes do PP, PSD e agora com o do PRB. Estão todos entusiasmados com eventual fechamento de questão (votação em bloco pela aprovação da proposta).”

O governador de São Paulo, Geraldo Alckmin, pré-candidato à Presidência da República em 2018 e que assumiu no sábado como presidente nacional do PSDB defendeu a reforma publicamente.

Em participação no Fórum Estadão na manhã desta segunda, o ministro-chefe da Secretaria Geral da Presidência da República, Wellington Moreira Franco, disse que “em relação à Previdência, o futuro chegou”, ao tratar da urgência da mudança nas regras das aposentadorias.

Às 9h58min, O DI para janeiro de 2019 caía a 6,980%, na mínima, de 7,01% no ajuste de sexta-feira. O DI para janeiro de 2020 estava em 8,26%, de 8,29% no ajuste de sexta-feira. O DI para janeiro de 2021 recuava a 9,200, de 9,24% no ajuste anterior. E o DI para janeiro de 2023 estava em 10,07%, de 10,11% no ajuste anterior. No câmbio, o dólar à vista recuava à mínima, aos R$ 3,2814 (-0,44%). O dólar futuro de janeiro caía 0,35%, aos R$ 3,2875.

Na Pesquisa Focus, o mercado financeiro reduziu suas projeções para o IPCA em 2017 de 3,03% para 2,88%. Já a projeção para o índice de 2018 permaneceu em 4,02%. Já a projeção de alta do PIB em 2017 aumentou de 0,89% para 0,91% e, para 2018, de 2,60% para 2,62%. A estimativa para Selic em 2018 segue em 7%.

Fonte Oficial: Jornal do Comércio.

Os textos, informações e opiniões publicados neste espaço são de total responsabilidade do(a) autor(a). Logo, não correspondem, necessariamente, ao ponto de vista do World Câmbio.

Comentários

você pode gostar também

Quer fazer parte de nosso grupo?

Inscreva-se em nossa newsletter!