Contra reforma, oposição vai obstruir até votação do Orçamento – Exame

Os deputados ameaçam não só impedir a votação de projetos na Casa como avisam que estão dispostos a atrapalhar a sessão do Congresso Nacional

access_time 12 dez 2017, 17h55

Brasília – A oposição anunciou na tarde desta terça-feira, 12, que fará uma obstrução “dura” para evitar o avanço da Proposta de Emenda à Constituição (PEC) da reforma da Previdência na Câmara dos Deputados. Os deputados ameaçam não só impedir a votação de projetos na Casa como avisam que estão dispostos a atrapalhar a sessão do Congresso Nacional, marcada para esta terça.

“Nossa obstrução é para paralisar o Congresso, principalmente a sessão do Congresso. Se não recuarem, não vamos deixar votar nem o Orçamento. É paralisação política mesmo”, anunciou o líder da Minoria, José Guimarães (PT-CE).

O petista disse que o governo não tem coragem de anunciar a data de votação da PEC porque não tem os 308 votos necessários para aprová-la. Guimarães informou que, se o governo desistir de colocar o tema em votação antes do recesso, a oposição vai retirar a obstrução.

O grupo de partidos – formado por PT, PCdoB, PDT, Rede, PSOL, PHS e PSB – diz ter 270 votos contra a PEC. “Estamos seguros que vamos derrotar o governo se insistir em votar isso no plenário”, emendou Guimarães.

O bloco já colocou em prática a decisão de inviabilizar os trabalhos na Casa. Pouco antes do fechamento deste texto, o plenário tentava retomar a votação dos destaques do projeto de lei que estabelece o parcelamento das dívidas de produtores e empresas com o Funrural – espécie de contribuição previdenciária que incide sobre a receita da comercialização da produção. Os governistas não estão conseguindo garantir o quórum mínimo para acelerar a votação.

Militantes

Desde a segunda-feira, a oposição conta com a mobilização de militantes e sindicalistas para convencer parlamentares a não apoiar a PEC. Um grupo de militantes segue em greve de fome há oito dias na Câmara. Outro grupo faz protestos no aeroporto de Brasília na recepção de deputados que chegam para a semana decisiva da reforma da Previdência.

Na segunda, o Broadcast Político (serviço de notícias em tempo real do Grupo Estado) flagrou militantes da Contag recebendo com vaias o presidente do PPS, deputado Roberto Freire (PPS-SP), e aplaudindo Miro Teixeira (Rede-RJ), parlamentar contrário à PEC.

Greve

O líder do PT, Carlos Zarattini (SP), disse que as mobilizações continuarão, inclusive com a expectativa de greve no transporte público de São Paulo. O deputado criticou a vinda de 150 empresários para pressionar parlamentares. “Esse projeto só interessa aos mais ricos, aos grandes empresários e ao capital financeiro”, concluiu.

Fonte Oficial: Exame.

Os textos, informações e opiniões publicados neste espaço são de total responsabilidade do(a) autor(a). Logo, não correspondem, necessariamente, ao ponto de vista do World Câmbio.

Comentários

você pode gostar também

Quer fazer parte de nosso grupo?

Inscreva-se em nossa newsletter!