Dólar sobe acima de R$ 3,30 com cautela sobre reforma da Previdência – Jornal do Comércio

O dólar segue volátil e com oscilações entre margens estreitas uma vez que está sendo negociado acima do patamar de R$ 3,30 – que reflete preocupações de que a reforma da Previdência possa ser deixada para mais adiante na Câmara. Na manhã desta terça-feira (12) a moeda norte-americana exibia leves altas, após exibir sinais mistos mais cedo em meio a ajustes em relação ao fechamento anterior de, R$ 3,2999 no mercado à vista e de R$ 3,3115 no contrato futuro de janeiro.

Além da incerteza local com a reforma, os agentes de câmbio observam os sinais mistos do dólar no exterior ante divisas principais e emergentes e ligadas a commodities. Lá fora, estão no radar a alta do petróleo e a possibilidade de um terceiro aumento de juros pelo Federal Reserve (Fed, o banco central norte-americano), em sua última reunião de política monetária do ano, que começa nesta terça e termina na quarta-feira

Entre os riscos destacados pelo BC está a frustração das expectativas sobre a continuidade das reformas. Na prática, a instituição observa com atenção o andamento da reforma da Previdência no Congresso. A instituição repetiu ainda, na ata desta terça, que “para frente, o Comitê entende que o atual estágio do ciclo (de cortes da Selic) recomenda cautela na condução da política monetária”. Neste caso, a sinalização é de que, após fevereiro, a instituição estará mais cautelosa e pode, na prática, não movimentar a Selic.

O BC diz que “a flexibilização na próxima reunião parece adequada sob a perspectiva atual. Mas avaliaram que cabia advertir que essa visão é mais suscetível a mudanças na evolução do cenário e seus riscos que nas reuniões anteriores”. Na semana passada, o Comitê de Política Monetária (Copom) cortou a taxa Selic de 7,50% para 7,00% ao ano, o menor patamar da história.

Às 9h59min, o dólar à vista subia 0,23%, aos R$ 3,3070, após registrar mínima em R$ 3,2985 (-0,04%) e máxima, aos R$ 3,3090 (+0,28%). O dólar futuro de janeiro estava em alta de 0,05%, aos R$ 3,3130, depois de bater mínima aos R$ 3,3040 (-0,23%) e máxima, aos R$ 3,3150 (+0,11%).

A diferença de sinais do dólar à vista em relação ao dólar futuro reflete ajustes ao fechamento anterior de, respectivamente, R$ 3,2999 e R$ 3,3115.

Fonte Oficial: Jornal do Comércio.

Os textos, informações e opiniões publicados neste espaço são de total responsabilidade do(a) autor(a). Logo, não correspondem, necessariamente, ao ponto de vista do World Câmbio.

Comentários

você pode gostar também

Quer fazer parte de nosso grupo?

Inscreva-se em nossa newsletter!