Por reforma, governo sinaliza descontingenciamento neste ano – Exame

Nova liberação de recursos, portanto, abriria o caminho para mais gastos via emendas para os parlamentares

Por Marcela Ayres, da Reuters

access_time 12 dez 2017, 13h38

Brasília – O governo do presidente Michel Temer pode descontingenciar mais recursos do Orçamento neste ano diante da melhora da arrecadação, afirmaram à Reuters duas fontes da equipe econômica nesta terça-feira, em meio a esforços para agradar o Congresso Nacional para votar a reforma da Previdência.

“Como sempre tem chances (de nova liberação de recursos) porque a receita está surpreendendo”, afirmou uma das fontes, sob a condição de anonimato. “Números de novembro vieram bons, já começam a aparecer efeitos da atividade econômica”, acrescentou.

“Há a possibilidade (de descontingenciamento)”, afirmou a segunda fonte da equipe econômica, ressaltando que os cálculos ainda estão sendo feitos para tanto.

A melhora da arrecadação tem sido sentida sobretudo pelas receitas extraordinárias e gradual recuperação da economia.

Ao anunciar o descongelamento de 7,516 bilhões de reais do Orçamento deste ano em meados de novembro, o governo liberou 593,45 milhões de reais para emendas parlamentares, seguindo regras instituídas em lei que determinam um descontingenciamento proporcional para todas as despesas previstas.

Nova liberação de recursos, portanto, abriria o caminho para mais gastos via emendas, indo ao encontro direto dos interesses dos parlamentares diante das proximidades das eleições do próximo ano.

Muitos deles têm evitado se comprometer com o voto favorável à reforma da Previdência justamente por medo de que isso possa minar chances de reeleição em 2018.

O governo, por sua vez, argumenta que reforma é crucial para colocar as contas públicas em ordem, e trava verdadeira batalha para tentar votar a matéria no plenário da Câmara dos Deputados ainda neste ano.

Fonte Oficial: Exame.

Os textos, informações e opiniões publicados neste espaço são de total responsabilidade do(a) autor(a). Logo, não correspondem, necessariamente, ao ponto de vista do World Câmbio.

Comentários

você pode gostar também

Quer fazer parte de nosso grupo?

Inscreva-se em nossa newsletter!