Projeção do IPCA 2017 no cenário de mercado está em 2,9%, diz ata do Copom – Jornal do Comércio

A ata do último encontro do Comitê de Política Monetária (Copom) do Banco Central, divulgada na manhã desta terça-feira (12) indicou que a projeção para o IPCA de 2017 no cenário de mercado está em 2,9%. Já a projeção para 2018 é de 4,2%, enquanto a estimativa para 2019 também é de 4,2%.

Estes são os mesmos valores citados no comunicado que acompanhou a decisão do colegiado, na semana passada, quando a instituição cortou a Selic (a taxa básica de juros) em 0,50 ponto porcentual, de 7,50% para 7,00% ao ano. Foi a décima redução consecutiva da taxa, para o menor patamar da história. Na ata do encontro anterior do Copom, publicada no fim de outubro, as projeções estavam em 3,3% em 2017, 4,3% em 2018 e 4,2% em 2019.

As projeções do cenário de mercado levam em conta taxas de juros e câmbio variáveis, apuradas pela pesquisa Focus do BC. Nos últimos meses, a instituição tem dado maior ênfase justamente às projeções do cenário de mercado. Na visão do BC, o cenário de referência, que utiliza juros e câmbio fixos, teria perdido relevância. Na ata agora divulgada, assim como nas anteriores, o BC não informou as projeções do cenário de referência.

No caso do cenário de mercado, as projeções indicam que o BC caminha para o descumprimento da meta de inflação em 2017. Isso porque o centro da meta para este ano é de 4,5%, com margem de tolerância de 1,5 ponto porcentual (inflação entre 3,0% e 6,0%).

Já as projeções para 2018 e 2019 sugerem que o BC cumprirá a meta. O objetivo central para o próximo ano também é de 4,5%, com margem de 1,5 ponto (inflação entre 3,0% e 6,0%). No caso de 2019, o centro da meta é de 4,25%, com margem de 1,5 ponto (inflação entre 2,75% e 5,75%).

Na semana passada, ao reduzir a Selic em 0,50 ponto porcentual, para 7,00% ao ano, o BC indicou a intenção de, no encontro de fevereiro, caso o cenário evolua como esperado e em razão do atual estágio do ciclo, aplicar um corte ainda menor na taxa básica. No entanto, um possível corte de 0,25 ponto porcentual, para 6,75% ao ano, dependerá do andamento das reformas no Congresso, em especial a Previdência.

BC eleva projeção de reajuste de administrados em 2017 de 7,9% para 8,00%

O Banco Central (BC) revisou suas projeções para a alta dos preços administrados em 2017, 2018 e 2019, conforme a ata do último encontro do Comitê de Política Monetária (Copom). Para este ano, o índice calculado passou para 8,0%, ante os 7,9% expressos na ata do encontro anterior, em outubro.

No caso de 2018, a expectativa do Copom para os preços administrados é de alta de 4,9%, ante variação de 5,1% verificada no Relatório Trimestral de Inflação (RTI). Já a projeção para os preços administrados de 2019 é de alta de 4,2%, ante 4,3% do documento anterior.

Nesta segunda-feira (11) o Relatório de Mercado Focus indicou que a estimativa para 2017 no mercado financeiro é de elevação de 7,85% dos administrados. Para 2018, a expectativa está em 4,90% e, no caso de 2019, em 4,30%.

As projeções para os preços administrados ajudaram a formar a base para que o colegiado cortasse na semana passada a Selic (a taxa básica de juros), de 7,50% para 7,00% ao ano. Foi a décima redução consecutiva da taxa.

Fonte Oficial: Jornal do Comércio.

Os textos, informações e opiniões publicados neste espaço são de total responsabilidade do(a) autor(a). Logo, não correspondem, necessariamente, ao ponto de vista do World Câmbio.

Comentários

você pode gostar também

Quer fazer parte de nosso grupo?

Inscreva-se em nossa newsletter!