Percentual de jovens que não estudam nem trabalham cai pouco em vinte anos – Jornal do Comércio

O Dieese divulgou, nesta quarta-feira (13), uma pesquisa em que mostra como os jovens da Região Metropolitana de Porto Alegre (RMPA) vêm enfrentando estudos e trabalho nas últimas duas décadas. Segundo o estudo, que utiliza as informações captadas pela PED-RMPA (FEE, DIEESE e FGTAS), os jovens entre 15 e 29 anos constituem 22,2% da população na RMPA (2016), praticamente 1/4 da população.

Em nota, o Dieese chama a atenção para o que considera um dado “alarmante”: dentre esta população, 12,1% não estudam, não trabalham e não estão buscando trabalho. Conforme o Dieese, esse número é expressivo, pois diz respeito a uma juventude que não participava dos circuitos da educação regular ou do trabalho remunerado. Entre 1996 e 2016, esse percentual da população juvenil declinou pouco, passando de 15,1%, em meados dos anos de 1990, para os atuais 12,1%.

Na região metropolitana da Capital, uma parcela significativa de jovens (58,9%) não estuda, e a maior parte dos que não estuda é composta de jovens que trabalha (46,8%). Para a economista do Dieese Lucia Garcia, a recomendação vai na direção contrária: “A educação deve ganhar prioridade para o conjunto da juventude, libertando-a do ingresso precoce no mercado de trabalho”, diz.

No último ano, os jovens que conciliavam estudo e trabalho e/ou procura por trabalho na RMPA correspondiam a 14,8% do total, percentual muito próximo ao verificado no início da série analisada (14,6%), em 1996.

Ainda assim, Lucia chama a atenção para a necessidade de políticas públicas que facilitem e estimulem os jovens a manterem-se estudando. “Apesar da grande evolução do nível educacional da população jovem da Região Metropolitana de Porto Alegre no período, em 2016 apenas 6,2% dos jovens com idade entre 15 e 29 anos tinham completado o ensino superior e aproximadamente 60% deles não estudavam”, destaca a pesquisadora.

Fonte Oficial: Jornal do Comércio.

Os textos, informações e opiniões publicados neste espaço são de total responsabilidade do(a) autor(a). Logo, não correspondem, necessariamente, ao ponto de vista do World Câmbio.

Comentários

você pode gostar também

Quer fazer parte de nosso grupo?

Inscreva-se em nossa newsletter!