AEB projeta superávit de US$ 50,341 bilhões em 2018 – Jornal do Comércio

A Associação de Comércio Exterior do Brasil (AEB) espera que o Brasil registre superávit de US$ 50,341 bilhões na balança comercial em 2018. Se confirmada a projeção, representará uma queda de 23,1% em relação aos US$ 65,467 bilhões estimados para o fechamento de 2017. As projeções foram divulgadas pela entidade.

“As projeções de comércio exterior para 2018 levaram em consideração o atual cenário político-econômico brasileiro, sinalizando fortes oscilações e fatores de incerteza sobre 2018, além de fatores no campo internacional, cujos possíveis impactos nas economias mundial e brasileira ainda são desconhecidos”, diz a AEB.

A redução na expectativa de superávit comercial na passagem de 2017 para 2018 se deve ao aumento mais acelerado das importações. Nas projeções da AEB, as importações avançarão 11,7% em relação a este ano, somando US$ 168,625 bilhões em 2018 – a estimativa para o fechamento de 2017 está em US$ 150,995 bilhões.

A AEB estima que as importações de bens de capital somarão US$ 18,5 bilhões, 14,8% acima de 2017. Já as importações de bens de consumo avançarão 22%, para US$ 28,5 bilhões. Em contrapartida, as exportações crescerão apenas 1,1% em relação ao estimado para 2017. A AEB projeta vendas ao exterior de US$ 218,966 bilhões em 2018 – para 2017, a estimativa é de US$ 216,462 bilhões.

As exportações de bens industrializados deverão somar US$ 114,890 bilhões, alta de 3,6% ante este ano. Já as exportações de produtos básicos deverão registrar US$ 99,076 bilhões, uma queda de 1,5%. Os automóveis seguirão como destaque, com exportações projetadas em US$ 7,4 bilhões, alta de 12,1% em relação ao estimado para este ano. As projeções consideram que a taxa de câmbio oscilará entre R$ 3,10 e R$ 3,35 por dólar e que o crescimento do PIB de 2018 ficará entre 2,5% e 3,5%.

 

Fonte Oficial: Jornal do Comércio.

Os textos, informações e opiniões publicados neste espaço são de total responsabilidade do(a) autor(a). Logo, não correspondem, necessariamente, ao ponto de vista do World Câmbio.

Comentários

você pode gostar também

Quer fazer parte de nosso grupo?

Inscreva-se em nossa newsletter!