Alemã HDI se une ao Santander para criar seguradora de automóveis digital – Jornal do Comércio

A seguradora alemã HDI e o Santander Brasil vão criar uma seguradora de automóveis digital. A parceria se dará a partir da criação de uma joint venture, na qual a Sancap Investimentos e Participações, controlada pelo banco, terá 50% e a sócia a outra metade.

O anúncio da parceria ocorre após pouco mais de um ano de a seguradora HDI, que pertence ao grupo alemão Talanx, ter perdido o balcão de seguros do HSBC para o Bradesco, que comprou a operação do banco inglês no Brasil. Além disso, marca a volta do Santander ao segmento securitário, no qual só atuava na corretagem e não assumindo o risco da operação, uma vez que vendeu, no passado, sua operação para a Zurich.

Batizada de Santander Auto, a joint venture do banco espanhol com a seguradora alemã será 100% digital e chega em um momento de recuperação do setor automotivo, um dos que mais sofreram com a crise. Do lado da HDI, o movimento é oportuno já que o Santander ocupa hoje a liderança no mercado de crédito para a compra e venda de veículos, com 22,5% de market share. Já a seguradora ocupa o sexto lugar no ranking de seguros de automóveis, com uma carteira de 1,5 milhão de veículos.

As novas sócias não abrem números da operação, uma vez que ainda dependem de autorização dos órgãos reguladores e estão, neste momento, debruçadas no plano de negócios da companhia, de acordo com o presidente da HDI, Murilo Riedel. “O foco é oferecer seguro de automóvel junto com a plataforma de crédito do Santander em um movimento que aposta na retomada da venda de veículos no País”, explica o executivo, em entrevista ao Broadcast, serviço de notícias em tempo real do Grupo Estado.

O presidente da HDI destaca ainda que a seguradora com o Santander está alinhada ao novo momento que o mercado de seguros atravessa, com maior ênfase nas operações digitais, uma vez que está ancorada numa forte “expertise matemática”. A aposta da alemã numa seguradora digital também tem como pano de fundo, segundo ele, o cenário de redução de juros, que exige que as seguradoras precifiquem melhor seus riscos e sejam mais eficientes já que os ganhos do lado financeiro estão menores.

Embora não possa mencionar volumes, Riedel diz que a Santander Auto tem capacidade de render uma operação “muito maior” do que a HDI detinha com o HSBC. Contribui, sobretudo, segundo ele, a união de dois grupos e o fato de ter o banco como sócio do negócio.

“A parceria com a HDI nos permitirá lançar uma nova empresa que utilizará a força dos canais de venda do Santander para comercializar novos produtos, de forma a estimular ainda mais o segmento”, afirma Angel Santodomingo, vice-presidente executivo e CFO do Santander Brasil, em nota à imprensa. “Queremos estabelecer novos patamares de serviços neste mercado e disponibilizar aos clientes uma forma mais simples de contratar e utilizar o seguro”, acrescenta o executivo.

O namoro entre o Santander e HDI começou, de acordo com Riedel, no início deste ano. A expectativa do executivo é que a nova seguradora esteja operacional até o final de 2018 para aproveitar justamente a retomada do mercado de veículos. Ele lembra, contudo, que é preciso aguardar os prazos dos órgãos reguladores responsáveis.

Fonte Oficial: Jornal do Comércio.

Os textos, informações e opiniões publicados neste espaço são de total responsabilidade do(a) autor(a). Logo, não correspondem, necessariamente, ao ponto de vista do World Câmbio.

Comentários

você pode gostar também

Quer fazer parte de nosso grupo?

Inscreva-se em nossa newsletter!