Economia dos Correios com transporte aéreo pode ser de R$ 200 milhões por ano – Jornal do Comércio

Os Correios avaliam que podem economizar cerca de R$ 200 milhões por ano com o transporte aéreo de cargas com a criação de uma nova empresa de logística com a Azul. A previsão foi citada pelo presidente da estatal, Guilherme Campos, que prevê redução de custos entre 35% e 40% dessa despesa. A iniciativa para a parceria partiu dos Correios e as conversas ocorreram por seis meses.

Guilherme Campos explicou que a estatal gasta R$ 560 milhões em contratos de transporte aéreo. Com a parceria, esse valor cairá substancialmente, diz o executivo, que não deu detalhes sobre como será feita a remuneração à nova empresa que terá 50,01% do capital da Azul e 49,99% dos Correios. Atualmente, os Correios usam serviços terceirizados das empresas Sideral e Total.

Em meio a uma grave crise financeira, o presidente da estatal disse que a iniciativa está alinhada com as sugestões dadas pela própria Controladoria Geral da União (CGU). “Entre as recomendações (da CGU), está a busca por novas opções de negócios. Essa parceria vem totalmente alinhada ao que a CGU estava recomendando”, disse, ao comentar que a parceria reduz imediatamente o custo da mercadoria transportada pela estatal.

Aos jornalistas, o executivo reconheceu que a estatal “passa por dificuldades”, mas que a atual gestão “está virando o disco”. “Não podemos ficar sentados esperando que a empresa definhe até a morte”, disse.

Campos prevê que a empresa poderá começar a operar em março após a constituição formal e submeter o projeto aos órgãos de controle, como o Tribunal de Contas da União (TCU) e a CGU, além do Conselho de Administração da Defesa da Concorrência (Cade). “Não tenho dúvida que vou levar pancada, seja de concorrentes, internamente ou dos órgãos de fiscalização e controle. Mas estamos aptos e à disposição”, disse.

Fonte Oficial: Jornal do Comércio.

Os textos, informações e opiniões publicados neste espaço são de total responsabilidade do(a) autor(a). Logo, não correspondem, necessariamente, ao ponto de vista do World Câmbio.

Comentários

você pode gostar também

Quer fazer parte de nosso grupo?

Inscreva-se em nossa newsletter!