Ipea projeta crescimento de 0,2% no PIB do 4º tri – Exame

O crescimento de 2017 chegará a 1,1% após um avanço de 0,2% no PIB do quarto trimestre ante o terceiro trimestre

access_time 20 dez 2017, 13h06

Rio – O Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada (Ipea) projeta crescimento do Produto Interno Bruto (PIB) de 1,1% em 2017 ante 2016 e de 3,0% em 2018 ante 2017, conforme a seção da Carta de Conjuntura sobre conjuntura macroeconômica divulgada nesta quarta-feira, 20.

O crescimento de 2017 chegará a 1,1% após um avanço de 0,2% no PIB do quarto trimestre ante o terceiro trimestre. Em relação ao quarto trimestre de 2016, a estimativa do Ipea aponta para crescimento de 2,3%.

Isoladamente no quarto trimestre, na comparação com o período imediatamente anterior, os destaques, pelo lado da oferta, serão o PIB da indústria e o PIB de serviços, com avanço de 1,2% e 0,3%, respectivamente. Pelo lado da demanda, o consumo das famílias avançará 0,8%, enquanto a formação bruta de capital fixo (FBCF) terá alta de 1,8%.

No ano, porém, o destaque pelo lado da oferta em 2017 foi o PIB agropecuário. Pelo lado da demanda, os destaques na recuperação econômica deste ano serão o “consumo privado, exportações líquidas e estoques”, conforme o texto da Carta de Conjuntura.

Para 2018, o crescimento projetado de 3,0% terá como destaque o impulso da flexibilização da política monetária. Os pesquisadores do Ipea esperam que o Banco Central (BC) encerrará o ciclo de afrouxamento no início do ano, com a taxa básica (Selic, hoje em 7,0% ao ano) fixada em 6,75% ao ano. O Ipea projeta que a taxa seguirá nesse nível até o fim de 2018.

“Apesar do aumento esperado na taxa de inflação entre 2017 e 2018 de 2,9% para 4,0%, acredita-se que essa trajetória da meta da Selic seja condizente com expectativas de inflação bem comportadas, apontando, no final de 2018, para a meta de inflação de 2019 4,25% ou próximo disso”, diz o texto da Carta de Conjuntura.

Fonte Oficial: Exame.

Os textos, informações e opiniões publicados neste espaço são de total responsabilidade do(a) autor(a). Logo, não correspondem, necessariamente, ao ponto de vista do World Câmbio.

Comentários

você pode gostar também

Quer fazer parte de nosso grupo?

Inscreva-se em nossa newsletter!