Leilão de energia surpreende e gera R$ 13,9 bilhões de investimento em usinas – Jornal do Comércio

O leilão de geração de energia desta quarta-feira (20) surpreendeu pela demanda acima do esperado e terminou com uma previsão de investimentos de R$ 13,94 bilhões em novas usinas. Foram contratados 2,93 gigawatts, que serão entregues a partir de 2023.

O maior volume foi de usinas térmicas movidas a gás natural -fonte considerada necessária para cobrir a intermitência de renováveis como solar e eólica. Foi contratada uma garantia física de 1,96 gigawatt da fonte, 67% do total. Como já esperado pelo mercado, a fonte eólica também teve destaque e respondeu por 26% da garantia física total e por 49 dos 63 empreendimentos contratados.

A fonte também chamou a atenção pela forte queda de preço: o valor inicial, de R$ 276 por megawatt-hora, chegou a um patamar recorde de R$ 98,62. O preço atingido pelos projetos eólicos no último certame, de segunda-feira (18), já havia surpreendido o mercado -o valor de contratação chegara a R$ 108. Nesta concorrência, caiu ainda mais.

Os demais empreendimentos foram de usinas térmicas a biomassa e pequenas hidrelétricas. O deságio médio do leilão foi de 38,7%, uma economia de R$ 68,46 bilhões. Os dois leilões de contratação de novas usinas desta semana representam uma retomada de novos projetos de geração, após quase dois anos sem leilões devido à queda do consumo de energia elétrica.

No primeiro certame desta semana, foram contratados 228,7 megawatts médios de garantia física, com investimentos de R$ 4,3 bilhões até 2021, data de entrega dos empreendimentos. A fonte solar predominou no primeiro certame, com 20 dos 25 projetos vencedores.

O mercado já esperava que este segundo leilão tivesse uma procura maior. O motivo é o prazo de entrega mais longo das usinas -até 2023, a expectativa é que o consumo de energia no país já tenha se recuperado e haja mais demanda.

Fonte Oficial: Jornal do Comércio.

Os textos, informações e opiniões publicados neste espaço são de total responsabilidade do(a) autor(a). Logo, não correspondem, necessariamente, ao ponto de vista do World Câmbio.

Comentários

você pode gostar também

Quer fazer parte de nosso grupo?

Inscreva-se em nossa newsletter!