Montadoras já operam com jornada extra – Exame

A Mercedes-Benz iniciou o ano operando com apenas 30% da capacidade produtiva da fábrica de caminhões e ônibus de São Bernardo do Campo

access_time 20 dez 2017, 09h10

São Paulo – A Mercedes-Benz iniciou o ano operando com apenas 30% da capacidade produtiva da fábrica de caminhões e ônibus de São Bernardo do Campo, no ABC paulista, porcentual mantido nos últimos três anos. Hoje, já opera com 55% em um turno de trabalho, e pode reduzir ainda mais o nível de ociosidade nos próximos meses.

Ao longo do segundo semestre, a montadora encerrou todos os programas de corte de produção, como redução de jornada e lay-off (suspensão de contratos de trabalho) e, desde novembro, há expediente normal na fábrica em dois sábados por mês para atender demandas do mercado interno e exportações. A jornada extra será mantida, em princípio, até abril.

“Se a demanda continuar aquecida vamos avaliar trabalho extra em mais sábados e, se preciso, voltar a operar em dois turnos e eventualmente realizar contratações”, diz o presidente da Mercedes-Benz do Brasil, Philipp Schiemer.

Em janeiro, a fábrica que hoje emprega cerca de 5 mil operários nas linhas de produção receberá o reforço de 86 aprendizes que concluíram cursos de profissionalização neste ano. “Não efetivávamos aprendizes há dois ou três anos”, diz Schiemer. Em quatro anos, a fábrica dispensou mais de 5 mil trabalhadores.

O setor de autopeças trabalha atualmente com 68% de sua capacidade instalada, porcentual que não era atingido desde 2015. Em maio do ano passado as fabricantes de peças atingiram o nível mais baixo dos últimos anos, com uso de apenas 48% da capacidade.

“Há uma melhora evidente e continuada nos últimos meses e provavelmente continuaremos vendo a redução da ociosidade nas fábricas”, diz Dan Ioschpe, presidente do Sindicato Nacional da Indústria de Componentes para Veículos Automotores (Sindipeças). Antes da crise, em outubro de 2013, a média de utilização da capacidade das fábricas era de 75,5%. As informações são do jornal O Estado de S. Paulo.

Fonte Oficial: Exame.

Os textos, informações e opiniões publicados neste espaço são de total responsabilidade do(a) autor(a). Logo, não correspondem, necessariamente, ao ponto de vista do World Câmbio.

Comentários

você pode gostar também

Quer fazer parte de nosso grupo?

Inscreva-se em nossa newsletter!