Taxas de juros ampliam queda no fim da sessão e fecham perto das mínimas – Jornal do Comércio

Os juros futuros acentuaram, na reta final dos negócios, a trajetória de queda com que vinham operando desde a parte da manhã e fecharam a sessão regular nas, ou perto das, mínimas do dia. O movimento não foi atribuído a nada específico, e sim a um ajuste ao avanço considerado exagerado das taxas nos últimos dois dias, a partir desta quarta-feira da melhora do mercado de moedas de países emergentes, e da expectativa com o Relatório Trimestral de Inflação (RTI) e o Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo – 15 (IPCA-15) de dezembro, que serão divulgados na quinta-feira.

A taxa do contrato de Depósito Interfinanceiro (DI) para janeiro de 2019 encerrou na mínima de 6,89%, de 6,92% no ajuste anterior, e a do DI para janeiro de 2020, em 8,18% (mínima), de 8,27% no ajuste anterior. A taxa do DI para janeiro de 2021 caiu de 9,30% para 9,24% e a do DI para janeiro de 2023, de 10,29% para 10,24%.

As mínimas coincidiram com a notícia de que o ministro da Fazenda, Henrique Meirelles, dará entrevista coletiva nesta quinta-feira na sede do PSD para falar sobre temas diversos, principalmente relacionados à política, mas os profissionais consultados disseram não ter visto relação com o fato de os DIs terem acentuado a baixa.

“A curva vinha de algumas inclinações no maior patamar desde 2006, exageradas, então é natural alguma correção. O mercado também está se preparando para o RTI”, disse o diretor de gestão de renda fixa e multimercados da Quantitas Asset, Rogério Braga.

O PSD divulgou aos jornalistas o vídeo da propaganda partidária da qual o ministro será protagonista. Nela, Meirelles defende as medidas tomadas pelo atual governo, cita a inflação controlada e desemprego em queda. Afirma ainda que o governo anterior “quebrou o País”, que ele “dorme pouco” e que “gosta de trabalhar”.

Pouco antes do fechamento deste texto, o Ministério do Planejamento anunciou a liberação de R$ 5,003 bilhões no Orçamento deste ano, de um total de R$ 24,6 bilhões que ainda estavam bloqueados, medida que havia sido antecipada pelo Broadcast, serviço de notícias em tempo real do Grupo Estado.

Nos demais ativos, o dólar seguia em baixa e a bolsa em alta. Às 16h45, a moeda americana era cotada no segmento à vista em R$ 3,2912 (-0,03%) e o Ibovespa subia 0,79%, aos 73.253,06 pontos.

Fonte Oficial: Jornal do Comércio.

Os textos, informações e opiniões publicados neste espaço são de total responsabilidade do(a) autor(a). Logo, não correspondem, necessariamente, ao ponto de vista do World Câmbio.

Comentários

você pode gostar também

Quer fazer parte de nosso grupo?

Inscreva-se em nossa newsletter!