Paraguai assume Mercosul e bloco firma novos acordos durante Cúpula – Jornal do Comércio

Os presidentes do Paraguai Horacio Cartes e do Brasil Michel Temer, em almoço oferecido durante a 51ª Cúpula de Chefes de Estado do Mercosul e Estados AssociadosMarcelo Camargo/Agência Brasil

O presidente Michel Temer transmitiu hoje (21) a presidência pro tempore do Mercosul para o presidente do Paraguai, Horácio Cartes, ao final da 51° Cúpula de Chefes de Estado do Mercosul e Estados Associados. Na reunião, os países assinaram acordos em áreas como direito do consumidor e liberação de compras governamentais.

Após a cúpula, Temer demonstrou otimismo em relação às negociações do acordo entre o Mercosul e a União Europeia. “Eu creio que está tudo muito preparado para que agora, sob a presidência do Paraguai, o Mercosul consiga fechar em definitivo o acordo com a União Europeia, que é algo que data de mais de 22 anos”, disse em entrevista a jornalistas após a reunião. Mais cedo, Temer disse que, pela primeira vez em 20 anos de tratativas, há a perspectiva realista de que se conclua um acordo abrangente e equilibrado.

O Brasil presidiu o Mercosul durante o segundo semestre de 2017, depois da última Cúpula que decidiu suspender a participação da Venezuela do bloco. Em discurso antes do almoço oferecido aos chefes de Estado e demais participantes, o presidente Temer destacou o papel do bloco.

“Temos razão de sobra para comemorar essa nossa obra comum. Juntos resgatamos a vocação original do Mercosul para o livre mercado, para a democracia, para os direitos humanos. Recobramos a vitalidade, o dinamismo deste que é nosso principal projeto de integração. Progredimos em todas as frentes na eliminação de barreiras ao comércio, nas negociações com parceiros externos e na defesa dos valores democráticos”, disse.

No discurso que antecedeu o almoço, mais uma vez Temer cumprimentou o presidente da Argentina, Maurício Macri, pela aprovação da reforma da Previdência no país e disse ter “a certeza que vamos seguir o exemplo da Argentina que teve responsabilidade para realizar uma reforma no sistema previdenciário”.

Entre os acordos assinados pelos países durante a cúpula está o que trata de contratos internacionais de consumo e permite iniciar um padrão coletivo para compartilhar os direitos do consumidor entre os países do bloco.

Segundo o Itamaraty, este ano o bloco identificou várias barreiras comerciais e de uma uma lista de 78 entraves, foram eliminados 67, o que representa uma taxa de êxito de mais de 85% nas negociações desse tipo de pendência. O bloco também avançou na harmonização de regulamentos técnicos sobre os produtos comercializados na região.

Os membros do bloco também assinaram o Protocolo de Contratações Públicas e acordaram sobre a facilitação de investimentos. Pela primeira vez, o Mercosul concluiu as negociações sobre a liberdade de compras governamentais entre os países. Este acordo prevê a extensão da preferência dada aos produtos brasileiros para outros fornecedores do Mercosul.

A reunião de hoje teve a presença dos presidentes da Argentina, Maurício Macri; do Uruguai, Tabaré Vázquez; do Paraguai, Horário Cartes; da Bolívia, Evo Morales; e da Guiana, David Arthur Granger, além de Temer. Também participaram representantes o Suriname, Equador, Chile, Colômbia, Peru e Egito.

O Mercosul é formado pelo Paraguai, Uruguai, Brasul e Argentina e tem como estados associados o Chile, Peru, Colômbia, Equador, Guiana e Suriname. A Bolívia está em processo de adesão e a Venezuela, suspensa.

Fonte Oficial: Jornal do Comércio.

Os textos, informações e opiniões publicados neste espaço são de total responsabilidade do(a) autor(a). Logo, não correspondem, necessariamente, ao ponto de vista do World Câmbio.

Comentários

você pode gostar também

Quer fazer parte de nosso grupo?

Inscreva-se em nossa newsletter!