Acordo zera tarifas de exportação do setor têxtil para a Colômbia – Jornal do Comércio

A entrada em vigor, na última quarta-feira, 20, do acordo comercial entre o Mercosul e a Colômbia permitiu zerar as tarifas do comércio de tecidos e roupas, disse nesta sexta-feira o presidente da Associação Brasileira da Indústria Têxtil e de Confecção (Abit), Fernando Pimentel. “Vai abrir novas oportunidades de negócios e investimentos.”

Neste ano, o Brasil exportou R$ 28 milhões para a Colômbia e importou R$ 36 milhões. “Nossa obrigação é de mais do que dobrar essas cifras nos próximos três anos”, afirmou o executivo.

A Colômbia é um mercado de 40 milhões de consumidores que hoje tem relações mais próximas com os Estados Unidos, país com o qual tem um acordo de livre comércio.

Uma possibilidade aberta com o acordo, disse Pimentel, é processar matérias-primas brasileiras na Colômbia e de lá acessar o mercado norte-americano sem pagar tarifas de comércio. “O que falta é melhorar a infraestrutura física”, comentou.

Também por causa da entrada em vigor do acordo, o Ministério do Desenvolvimento, Indústria e Comércio Exterior (MDIC) editou na quinta-feira, 21, uma portaria para dividir entre as montadoras as cotas de exportações de automóveis com tarifa zero para a Colômbia. “A cota é proporcional ao volume de mercado de cada montadora, com um espaço para entrantes”, explicou o secretário de Comércio Exterior, Abrão Árabe Neto.

O acordo prevê a exportação de 12 mil unidades no primeiro ano do acordo. Serão 25 mil no segundo ano e 50 mil unidades no terceiro ano. Pelo fato de o acordo haver entrado em vigor nos últimos dias de dezembro, a cota já será de 25 mil em 2018.

Fonte Oficial: Jornal do Comércio.

Os textos, informações e opiniões publicados neste espaço são de total responsabilidade do(a) autor(a). Logo, não correspondem, necessariamente, ao ponto de vista do World Câmbio.

Comentários

você pode gostar também

Quer fazer parte de nosso grupo?

Inscreva-se em nossa newsletter!